artedeviver

Alegria de viver: Muda que a vida muda

Muitas vezes sabemos que precisamos mudar, percebemos os sinais a nossa volta, entendemos as mensagens que nos chegam e até mesmo compreendemos que toda e qualquer mudança depende de cada um de nós, no entanto existe ainda uma questão que persiste em nossa mente: Como fazer isso?

Quando lemos a respeito, ou ouvimos alguém falando sobre o que é preciso ser feito para que as mudanças ocorram, entendemos perfeitamente o que é exposto, tudo parece muito claro e de certa forma até mesmo fácil de ser colocado em prática, mas é na hora que nos encontramos a sós, naquele momento único em que nos vemos frente a frente com nossa consciência e que requer de nós uma atitude, um ponta pé inicial, que nos sentimos impotentes, incapazes e sozinhos nos sentimos sem direção. Não sabemos ao certo por onde começar, como começar e muitas vezes já nem temos mais a certeza de que mudar é preciso.

Mas como mudar? Como sair da posição que nos encontramos e assumir uma atitude diferente diante da vida, dos outros e de nós mesmos? O Primeiro passo (e eu acredito o mais importante) é aceitar que cada um tem seu próprio tempo. Não adianta querer correr quando mal estamos prontos para caminhar. Dar passos pequenos, mas seguros e conscientes é fundamental para que esse caminho ao ser percorrido possa de fato ser transformador. Aceite suas limitações, sejam físicas, emocionais, psicológicas ou materiais, e trabalhe dentro delas de forma que aos poucos você possa expandir essa barreira ou ultrapassá-la.

E por onde eu começo? Devemos sempre começar olhando para dentro de nós mesmos, iniciando um processo de redescobrir a nós mesmos. Muitas vezes diante das circunstâncias que a vida nos apresenta, ou mesmo pelas escolhas que fizemos, nós nos afastamos de nós mesmos, esquecemos o que nos faz sorrir, o que alegra nosso coração, nos deixamos perdidos ao longo do caminho e então precisamos fazer esse reencontro com o nosso próprio “eu”, olhar no espelho e enxergar a nós mesmos dentro de nosso olhar.

Comece lentamente, se observe, gaste um pouco de tempo olhando para si mesmo com ternura, fazendo algo que te agrade, gaste alguns minutinhos todos os dias para dedicar-se a si mesmo. Aprecie-se! Aos poucos você vai perceber que a alegria voltará para sua vida e essa alegria vai te impulsionar a querer cada dia ser mais alegre, perceberá que a tristeza e o desânimo já não mais te comprazem, e que você merece algo melhor e mais feliz.

Quando você redescobrir a força e o poder de um sorriso sentirá prazer em sua própria companhia, vai perceber que estar consigo mesmo pode ser muito agradável, e que ainda que você esteja sozinho você pode ser feliz, pois estará em sintonia com a vida. Quando isso acontecer você terá removido as barreiras que te limitavam, o que os outros dizem ou pensam já não importará mais, os problemas já não serão tão grandes quanto pareciam, as dores ainda irão doer mas de uma forma que não possam mais te ferir. Tudo aquilo que não estiver em sintonia com esse “novo você” não servirá para sua vida e precisará ser reciclado, renovado e transformado, pois você terá se reerguido diante da vida, reassumido o seu papel e estará pronto para promover as mudanças que tanto queria, desejava ou precisava.

Abra-se para a vida, ame-se e sintonize-se com a alegria de viver e então a vida te responderá com motivos para sorrir.

Maisa Baria

Fonte: https://www.facebook.com/maisabariapensamentos

maisa-bariaMaisa Baria
É escritora, espiritualista e colaboradora do Movimento PENSO POSITIVO.
Blog: http://maisabaria.blogspot.com/

Este post foi lido 6766 vezes!

2 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>