ah-o-amor.html

Amor: A força mais poderosa do Universo

Se os seres humanos soubessem a potencialidade, a magnitude, o poder, a força do Amor, com a maior certeza sempre optariam por ele. O Amor cura doenças, o Amor transforma, o Amor é o bálsamo para qualquer problema, para qualquer desafio, para um mundo ruim; o Amor é como o Sol que, ao permitir-se brilhar, dissipa todas as escuridões, aquece todos os corações, possibilita a Vida.
 
Ah, a Vida.. que seria dela sem Amor? Será que ela existiria? Acredito que não, acredito que Vida e Amor são sinônimos. A Vida que se manifesta em ti, o pulsar do teu coração, o ar que tu respira, o olhar de uma criança, as matas, os rios, os animais, o movimento dos astros, o cosmos… tudo é Vida, tudo é Amor se manifestando, em todas as partes. Tudo é Perfeito, porque tudo se manifesta dentro do Amor. Sem o Amor nada pode existir, sem ele nada pode se manifestar.
 
O Amor é a força mais poderosa do Universo porque, uma vez colocada em movimento, transforma todas as situações à sua volta. O ser humano ainda não descobriu essa potencialidade inerente nele, de ser um canalizador do Amor do Ser. E você pergunta: ‘Mas, como amar? Que fazer para amar?” A resposta é: Não há motivos para não amar, apenas para amar. Os motivos para não amar estão todos no ego, na identificação com o ego e com seus joguinhos mentais. Uma vez que você saia do ego, o Amor flui naturalmente. E você se pergunta: “Como desidentificar-me do ego?” A resposta é: Com Amor próprio e com a prática da meditação.
 
Como você pode dar algo que não tem? Na verdade, o Amor sempre há em você, porque você é Amor, não no sentido de sentimento, mas sim no sentido de que você e Amor são a mesma coisa. A meditação, que é a observação da mente com o não-julgamento, promove a desidentificação com os pensamentos. Uma vez que você saiba que você não é os seus pensamentos e todas as tramas que teu ego realiza, você se liberta do padrão vicioso de não amar, porque você redescobre que você é livre, que você está além dos padrões da mente, que você é Consciência livre. Uma vez que você experiencie a sua natureza como Consciência livre, diversos motivos para amar surgem como, por exemplo: “Eu não sou esse ego, eu sou todos os outros e, portanto, é natural que eu os ame.” Porém, é necessário que esse processo de desidentificação com o ego, com os pensamentos, seja acompanhado com amor por ele pois, se você odiar seu ego, se você não aceitar sua personalidade, sua expressão, como você poderá amar aos outros? É necessário que você cultive o seu amor-próprio, que você preencha toda tua personalidade, todo teu corpo com teu amor, sabendo que você não é nada disso.
 
Quando você compra um carro e o dirige, você tem a opção de amar esse veículo ou de odiá-lo. A mesma coisa é com sua mente e com seu corpo: Eles são veículos, você pode amá-los ou odiá-los. Se odiá-los, sua vida sempre estará um inferno; se amá-los, por sua vez, sua vida sempre estará no paraíso, mesmo que existam altos e baixos, você sempre levará tudo com fluidez.
 
Amar não significa ser santo, ser santidade, ser perfeito. Amar significa altos e baixos, significa viver tudo com intensidade, significa viver tudo nitidamente, sem repressões; amar é, em natureza, ser Consciência, ser quem você é! Quando você passa a se expressar como é, sem medos, sem jogos do ego, sendo livre como é, você descobre que você é perfeito como é! O Universo está se expressando através de ti do jeito que ele deseja. Permita que o Cosmos se expresse através de você. Permita que VOCÊ se expresse através de VOCÊ!
 
Quando você fizer isso, você se tornará viciado na arte da expressão, você se contagiará na energia do Amor e, uma vez que você esteja viciado no Amor, você irá viciar aos outros naturalmente, porque o Amor é contagiante, é viciante, não como a droga que adoece, que torna as coisas inconscientes ou menos lúcidas mas, sim, como uma força que vivifica, fortalece, cura, abraça, constrói, edifica, progride, eleva, ILUMINA!
 
Ame-se! Ame-se muito, porque sempre te ensinaram a não te amar, pois sabiam que controlando-te e impedindo que teu amor-próprio florescesse, você seria uma ovelha sendo conduzida inconscientemente. Abra os olhos para a Verdade do teu Ser e ama-te! Quando? Agora!
 
Contagie o mundo com o teu Amor! Cada um tem o seu tipo de Amor, o seu jeito de Amar, apenas ame, ame intensamente, ame como se tudo fosse acabar em um minuto porque, em verdade, só existe o AGORA e o tempo é ilusão. Aproveite!
 
Cristian Dambrós

Este post foi lido 1986 vezes!

1 responder

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>