post-1-e

As festas de final de ano

Amados Filhos, Sou Kuthumi, seu irmão de Amor e humildade e estou aqui, juntamente com nosso amado Sanat Kumara, para trazermos a vocês hoje, a lembrança de estarem no presente, conectados ao coração.
 
Vocês estão, o tempo todo, sentindo influências de todos os acontecimentos do lado externo do seu ser e absorvendo somente aquilo que traz algum benefício a vocês, pois tudo aquilo que os circunda está a trazer as energias que os influenciarão em suas decisões e que vocês agregarão aos seus seres.
 
A partir do momento que sentem as energias exteriores, vocês decidem como as usarão: se por meio da personalidade egoica ou como uma ponte a permanecer em seus corações. Mas vocês só absorvem o que ressoa com sua vibração interior do agora, seja através de sua alma ou de seu ego. Então, sempre encontrarão um benefício nas experiências que estarão a ressoar de acordo com a vibração que sustentam naquele momento.
 
A sintonia somente ocorre quando vocês permitem, pois estão abertos a incorporar dentro de si tudo o que acontece, sem filtros. Vocês absorvem aquilo que está prevalente em seu ser. Se estiverem a vibrar na mente por meio da vaidade, da prepotência, da avareza, será assim que as experiências serão interpretadas.
 
Mas se vocês se colocarem no coração, sentindo sua paz interior, então as experiências serão vividas em um foco diferente. Mas é importante que compreendam: vocês só absorverão aquilo que ressoa, que vibra junto de si e que, portanto, os beneficia em algum grau. Vocês se abrem àquilo que recebem do exterior em todos os lugares e momentos.
 
Através da conexão ao coração, que é a sua essência de Amor, da busca pelo refúgio, pelo colo do silêncio, pela paz interior, você estará sempre protegido de tudo o que ocorre ao seu redor, pois se conecta ao coração e estabelece uma fortaleza que o deixará envolvido em paz constante. Então, as experiências os conduzirão à leveza da vida, à confiança, à fé, ao fluxo.
 
Mas se vocês desconsideram essa conexão, se conduzirão pela personalidade, pela massa, pelo comportamento padrão e se esquecerão do coração.
 
Às vezes, vocês passam por situações às quais precisam estar envolvidos com as pessoas em eventos e experiências, que não correspondem com o que você é. Mas até nesses momentos, podem permanecer ali centrados em seus corações, sem se permitir serem levados pelo pensamento prevalente, pelos comportamentos da massa.
 
Vocês permanecem ali centrados nessa paz interior e permitem que cada um absorva a experiência de acordo com sua ressonância, mas também decidem permanecer nessa vibração de paz, protegidos dos julgamentos exteriores e centrados na certeza de que o coração os conduzirá ao melhor, à sua própria vibração, àquilo que te faz bem, à sua saúde e ao seu corpo.
 
Meus Amados Filhos, vocês não podem negar o que ocorre dentro dos seus corações. Ao menor sinal de escolha do caminho errado, o seu coração lhe dará o sinal, mostrando que essa não é a sua natureza. E, nesse momento, vocês decidem como vibrarão: se permanecerão centrados na sua verdade, na ressonância de sua paz, ou se serão conduzidos pela personalidade humana e, novamente, voltar aos antigos comportamentos de massa.
 
Alguns comportamentos que vocês estavam certos que já os haviam superado. Porém, foram trazidos, justamente, para compreenderem a importância da vigilância interior a todo o momento, de darem prevalência àquilo que ressoa com a vontade sentida, e não àquilo trazido por sua mente inquietante que sempre os conduz à vibração inferior “daquilo que é comum e normal a todos”.
 
Nesse mundo, há muito a ser purificado na consciência coletiva e vocês podem ser os agentes principais dessa mudança. Não ao tentar convencer como deverá ser o comportamento alheio, mas de, simplesmente, saberem aquilo que ressoa com seu coração, e se darem o direito de permanecer nessa paz, sem exigência ou julgamentos daqueles que não os compreendem. Simplesmente sendo o que são, e permitindo que sua beleza resplandeça na doçura, na paz e na fala suave.
 
De que adianta, Meus Queridos, forçar a ser o que não são verdadeiramente?
 
Com qual finalidade, Meus Filhos Amados?
 
Vocês estão aqui vivendo as experiências que escolhem, mas, por alguns instantes, esquecem-se de que são os donos das próprias vidas. Que devem sempre fazer o que os agrada e que vem da vontade do fundo do seu coração.
 
E, nesses momentos, vocês novamente retornam à antiga matriz de comportamento, caindo nas velhas malhas egoicas do comportamento desamoroso com vocês mesmos, do julgamento daqueles que não permanecem e ainda não compreendem o seu estado puro de ser. Vocês forçam a si mesmos ou impõem, através de suas atitudes e olhares, aquilo que absorvem do meio.
 
Mas, e se apenas, permanecessem nessa paz, permitindo que cada um se conecte com sua própria ressonância interior?
 
Vocês podem perceber as energias. Sigam o seu coração. Escutem o seu corpo que tantas vezes chora por atenção, mostrando-lhes que já passou do ponto suportável para manter um equilíbrio saudável. E a partir daí, permitam que todos façam dessa forma, ainda que discordem daquele comportamento. Permitam a lição de cada um, e se deem o direito de permanecer nessa paz interior, sem julgamento, sem expectativa, sem exigências, apenas estando na doçura de seus corações e no silêncio de sua paz.
 
Que estado maravilhoso da consciência que é esse! Mas se saem desse estado, aí estão os excessos, Meus Queridos! Muitas vezes levados pelas influências de outras pessoas, acabam sendo conduzidos com a “onda do momento”, que os leva ao caminho que a grande massa está seguindo, e que já sabemos através de mensagens anteriores, que essa grande massa está, simplesmente, sendo conduzida pela malha energética que envolve o planeta.
 
Mas vocês, que leem esses textos, já sabem que só absorvem aquilo que ressoam, aquilo que permitem que os atinja. Então, estão aptos a decidirem aquilo que os faz bem ou, simplesmente, serem conduzidos por essa consciência coletiva, que os arrasta aos antigos vícios da matéria, sem questionamento sobre o melhor ou sobre aquilo que faz bem.
 
Nessa época do ano, Meus Filhos, período de festas, de excessos, mas, também, de muito Amor e caridade. Você pode escolher “qual onda deve levar você” e soltar-se, mas sempre com olhos no seu coração, pois cada indivíduo é único dentro da grande massa encarnada no planeta.
 
Nunca acontecerá de um ser igual a outro. Cada um está em um momento de aprendizado, de experimentações e, portanto, escutando o coração, você permitirá que seja levado onde deve ser, para que se eleve em todas as suas experiências. Portanto, quando estiverem em seus ambientes festivos, se lembrem disso: vocês escolhem onde querem permanecer, naquele ambiente puro e de paz ou na massa.
 
Mas sempre que optarem por um desses caminhos, devem, também, se lembrar da caridade de, simplesmente, permitir que cada um viva sua vida como deseja. Saiam da energia do julgamento, do ser melhor, do permanecer mais sábio, mais bem-sucedido e de voltarem, novamente, para aquela energia egoica do julgamento e da competição que tanto permeia esses ambientes.
 
Apenas permitam, Meus Amados, que ouçam os seus corações, permaneçam certos que estão tomando a melhor decisão de acordo com o que vibram, e que os outros tenham as suas próprias decisões.
 
Deixe, Meus Amados Filhos, que o coração os guie. Que o Amor os guie. Protejam-se do que vocês “não são”, para preservarem a sua pureza, a sua paz, a sua saúde e integridade física. E convivam com todos nessa paz, aceitando cada decisão e sabendo que são momentos que um dia sentirão falta, pois foi uma linda escola de, simplesmente, aprenderem a permanecer em sua paz, em seu coração, em seu interior, independente do que ocorre à sua volta.
 
Que lindas oportunidades são trazidas a vocês nesses ambientes festivos. Se divirtam junto daqueles que foram trazidos até vocês, confraternizem, mas sempre mantendo essa paz saudável que são. Se não julgamos, não podemos ser julgados, pois compreendemos que cada um possui seu livre arbítrio de acordo com que vibra em seu coração.
 
Quando estão, nesses momentos de festas, sentindo-se deslocados, sozinhos, mal compreendidos, quando já não conseguem mais compreender o que estão fazendo naquele lugar e naquele momento, é quando o seu coração começa a chamar por sua atenção, quando começa a tentar resgatá-lo da conexão da mente.
 
Dê ouvido a esse chamado de Amor, que é o Amor por si mesmo. E nesse momento, tenham um olhar compassivo com todos e com vocês mesmos. Se deem o direito de seguirem seu fluxo, ainda que seja para se isolarem de todos ou de permanecerem juntos das pessoas queridas, irradiando sua paz, sua compaixão e sem julgamento, apenas aceitando e agradecendo o momento humano de congregação que sua alma vive.
 
Absorvam as energias de alegria, de paz, de caridade que também estão muito disponíveis nessa época do ano, e irradiem a todos que cruzarem seu caminho, na certeza certos de que em seus corações, estarão protegidos das energias contrárias dos excessos que são cometidos.
 
Onde você gostaria de estar?
 
O que gostaria de fazer que o deixaria mais feliz naquele momento?
 
Qual o erro, Meu Filho Amado, em seguir a voz do seu coração?
 
Seguir o que o seu corpo pede, que muitas vezes, é apenas um chamado por algumas horas a mais de descanso, ou por um alimento mais leve, ou mesmo por um ambiente mais silencioso, em paz?
 
Não importa. Sigam aquilo que seu coração e seu corpo lhe pede. Não julguem e não serão julgados. Ninguém dirá como devem agir, se também não fizerem isso com os seus irmãos.
 
A certeza interior do Amor e da paz é uma energia inabalável, que nos coloca em contato com o coração de uma maneira linda e benevolente, caridosa e pacificadora. Somos inatingíveis nesse estado da pureza da alma, onde temos a capacidade de decidir permanecer.
 
Ou mesmo aquele querido filho que está sozinho, infeliz e que gostaria de estar dentre outras pessoas, por que não o faz? Por que não segue o coração? Muitas vezes o ego, o medo, a insegurança seguram o impulso do coração. Muitas vezes, deixamos o coração envolvido nessa “capa” protetora que não deixa que brilhe e irradie o nosso próprio corpo em Luz e Amor.
 
Por que não usar dessa época para compartilhar, festejar, rir, dançar e se divertir?
 
Por que não ser amoroso, manifestando sua alegria em estar presente nos ambientes sem um olhar de julgamento, se dando o direito de, simplesmente, se divertir, reconhecendo a divindade de todos, independentemente de suas atitudes?
 
Por que não deixar que sua paz seja alegre e risonha?
 
Deixe-se levar pelas suas vontades mais profundas. Viva as experiências a que está destinado. O impulso do coração, a sensação de que está seguindo pelo caminho errado, fazendo aquilo que não o agrada, no momento que não é ideal, é justamente o chamado do seu resgate. Ao ouvir esse chamado, Filhos, não ignorem, e sigam o seu coração. Sigam o que estiverem sentindo e vivam a experiência, a qual estão aqui para viver, com total entrega e Amor.
 
As festas de final do ano são bons momentos de irmandade familiar, entre os amigos e todos aqueles que, sem que saibam, nutrem profundo Amor em seus corações, ainda que não possamos compreender suas atitudes.
 
Mas saibam que, nesses ambientes, há sim, muito Amor, muito carinho, ainda que a conduta não seja harmônica segundo o seu julgamento. Há muita disputa nesses ambientes, mas há também muito Amor. Basta que possamos decidir como olhar as situações e permitir que nossa ressonância seja amorosa e compassiva.
 
Confiem, pois, muitas vezes, vocês criam realidades em suas mentes, de possibilidades de fatos ocorrerem, em consequência das ações que gostariam de seguir, mas não seguem por medo.
 
Libertem-se a esse impulso de Amor. Sigam o coração, pois essa é uma linda época para aprendemos a amar incondicionalmente, centrados na verdade do coração e, assim, nos abrirmos a esse lindo Amor que Deus está a nos chamar durante todo o ano.
 
Essa última fase do ano será de intensas experiências, assim como é ao final de todos os anos. Mas dessa vez, Meus Filhos, escolham fazer tudo de forma diferente. Façam somente aquilo que dita o seu coração. Não se permitam entrar nessa consciência de massa, permaneçam em seu silêncio, em sua verdade, em sua paz, compartilhando com Amor as experiências, e só vendo o Amor em tudo que os rodeia.
 
O Amor que vocês têm por si mesmos, seguindo os seus instintos e chamados do coração, irradiará em sua volta e todos poderão sentir. E não há melhor maneira de mudarem os comportamentos, senão, simplesmente, amarem sem exigência, sem apego, mas mantendo sua alegria e paz nas festas de final de ano, fazendo aquilo que seus corpos e sua consciência propõem, dentro da mais pura energia da caridade para com vocês e todos os que dividirem esses lindos momentos festivos.
 
Enquanto todos estiverem vivendo sem deixar aflorar as suas verdadeiras vontades, deixando-se levar pela grande massa de energia, não poderão viver experiências curativas de seus problemas. Estarão repetindo situações e não estarão dando espaço para que ocorram as curas, os tratamentos, as libertações a que estão destinados às quais vieram buscar durante as experiências dessa encarnação.
 
Mas, ao contrário, se vocês se mantiverem centrados em seus corações, poderão tirar maravilhosas lições de Amor dessas festas, vivendo em sua paz e irradiando sua alegria a todos.
 
Vivam a sua verdade. Sejam vocês mesmos. Sigam o coração guiado pelo Amor a si mesmos nessa última fase do ano. Com isso, poderão observar um novo ano nascendo com base na liberdade e nas realizações mais profundas do seu ser.
 
Somos Sanat Kumara e Kuthumi
 
Através de Thiago Strapasson e Michelina OM
Colaboração: Angelica T. Tosta e Solange Yabushita

Este post foi lido 1652 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>