obsessao_n-1

Como ter ao seu lado boas companhias espirituais

Somos todos canais das forças espirituais.

Melhor explicando: somos influenciados – mesmo não tendo consciência disso – tanto pelos espíritos habitantes do plano de luz, como pelos das trevas….

A alteração de humor, principalmente sem motivo aparente, com explosão de ira, irritação, impaciência, pensamentos negativos, pessimistas e atitudes irracionais, em muitos casos são provocados por influência dos seres das trevas (obsessores).

Da mesma forma, bons pensamentos e atitudes positivas, repentinas, e sentimentos agradáveis de alegria, esperança, bom humor e otimismo, podem vir sob influência dos bons espíritos, seres de luz.

Portanto, os nossos padrões de pensamento, sentimentos e atitudes são influenciados por esses seres espirituais muito mais do que podemos imaginar. É neste aspecto que somos todos canais das forças espirituais, uns mais e outros menos.

Desta forma, cabe a cada um escolher se quer ser um canal das forças espirituais da luz ou das trevas.

De acordo com a Lei da Afinidade – os semelhantes se atraem – é que iremos atrair, sintonizarmos com os bons ou maus espíritos.

Em outras palavras, se você quiser atrair, canalizar bons espíritos (seu mentor espiritual, espíritos guardiões, seres angelicais, mestres ascensionados), é preciso elevar seu teor vibracional, cultivando a positividade, os bons pensamentos, sentimentos e atitudes para se sintonizar com eles.

Para isso, é preciso monitorar os pensamentos, controlar as emoções, ser cuidadoso com as palavras e ações, pois as palavras e pensamentos têm energia e força transformadora.

Quando você está bem, o bem vai estar com você. Mas se ocorrer o contrário, o mal vai estar com você. É a lei da Afinidade, uma das Leis Universais.

Portanto, é preciso assumir responsabilidade, tomar posse de si pela qualidade de seus padrões vibracionais. Precisamos também cultivar a prece, fortalecer a fé, termo tão desacreditado no mundo moderno. A era científica e tecnológica em que vivemos valoriza muito o intelecto e trata com descaso a fé.

Gosta do que eu escrevo? Aquilo que venho publicando diariamente faz sentido pra você?
 
Quer aprender a colocar tudo isso em prática e transformar definitivamente sua vida?
 
Vou iniciar em maio um trabalho com uma pequena turma e estarei de mãos dadas com você ao longo dessa transformação.
 
Se quiser fazer parte desse grupo, clique no link abaixo, preencha o questionário, envie-me e aguarde o meu contato!
 
 
Tudo pode e vai ser muito diferente, você só precisa agir para ser feliz. Acredite!

Através de Roberto Legey

Roberto_LegeyRoberto Legey Empresário, consultor, estudioso da espiritualidade, do processo de mudança de consciência planetária e colaborador do Movimento PENSO POSITIVO.

Este post foi lido 39130 vezes!

13 respostas
  1. Thiago
    Thiago says:

    Olá Roberto,

    Adorei o seu artigo. Tenho uma grande sensibilidade mediúnica, mas não sei como trabalhar isso, não sei por onde começar. E sinto que sou muito influenciado por espíritos ruins e de luz tbm.
    Como desenvolver isso? Dominar essa sensibilidade? Você já escreveu algum artigo sobre isso? Abs

    Responder
    • Roberto Legey
      Roberto Legey says:

      Caro Thiago, mediunidade não se desenvolve, aprende-se a lidar com ela. Afinidade com espíritos desencarnados se dá através dos pensamentos, emoções e vibrações. Fundamentalmente procure a mudança de consciência, tão necessária nos dias de hoje. Com isso, sua frequência irá se elevar e sintonizará apenas com espíritos de luz. Grande abraço

      Responder
      • Elizabeth
        Elizabeth says:

        Estou passando por isso. Pareço um elevador, tenho que ficar 100% do tempo consciente dos meus pensamentos, caso contrário sou atacada devido a mediunidade. Só uma pergunta. Isso uma hora vai estabilizar ? Algum dia terei descanso e poderei deixar meus pensamentos correrem livremente ? Sou humana e nesta condição, tenho direito de ficar triste uma hora ou outra sem ser incomodada como o restante da população ou não ? Desculpe o desabafo, mas estou na luta a mais de um mês, claro, já estive muito pior e consegui melhorar uns 95%, graças a Deus, mas ao menor pensamento mais ou menos, lá vem ! Confesso que estou exausta, mas firme na luta, pois sei que sou mais forte do que isso.

        Responder
  2. Augusto
    Augusto says:

    Estava aqui no meu trabalho e num momento de “pausa” vi seus artigos neste site e gostei muito. Eles são um balsamo para aqueles como eu, vem passando por um momento de grandes transformações na vida.

    Responder
  3. José Luiz da Silva
    José Luiz da Silva says:

    Como é bom ter pessoas como você!
    Sou muito grato por ter esta ajuda, pois
    me fortaleço cada dia mais, lendo ou assistido seus vídeos.

    Responder
  4. Lina A. Lopes
    Lina A. Lopes says:

    Olá , gostaria muito de saber , se temos que frequentar centros espiritas ,p/ estarmos livres dos maus espíritos ? e estarmos numa boa frequência vibracional !
    E qual vcs. recomendariam , existem vários mas não sei se são recomendáveis !

    Responder
    • Roberto Legey
      Roberto Legey says:

      Na verdade não é necessário. O que você chama de “maus espíritos” são, na verdade, espíritos desencarnadas e ainda inconscientes que vibram em baixas frequências. Se, por acaso, estão influenciando você, significa que, com seus pensamentos, está na mesma frequência que eles. Para deixar de receber essas influências é necessário que vibre em frequências positivas e elevadas.

      Responder
  5. Lucy
    Lucy says:

    Me desculpas , mas a vida na terra em carne já tão pragmática, intensa , pesada… que ainda em espírito temos companhia ao lado, sendo do bem como também do mal… Fala sério !! Nossa temos de tolerar a carne burra na terra e ainda ter a energia espiritual de alguém conhecido ou desconhecido do lado como um fantasma . Deus é fodástico . Duas cargas de tamanhos grandiosos diferentes é muito pra muita gente burra nesse planeta. Mas fazer o quê, Deus não liga pra certas reclamações .

    Responder

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta para Roberto Legey Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>