post-7-d

Conversando com os Elohim

Vinícius – Há algum tempo sinto a necessidade de falar sobre isso com vocês e compartilhar nossa conversa com o público, pois considero essa parceria espiritual extremamente valiosa. Há “canais” e “canais” por aí e de certa forma é inseguro ver o nome de vocês “Elohim” (E de meus outros guias) que está profundamente ligado à minha pessoa, escolha de vida e missão espiritual, envolvido em trabalhos e canalizações que definitivamente não compactuam com a visão genuína que se divulga e propaga através do blog “Os filhos da alva”. Desejo tirar outras dúvidas, mas vamos começar com isso. O que poderiam dizer a mim e a todos a respeito?
 
Elohim: Que nossas palavras sejam tão serenas e aliviadoras quanto o sutil vento que vos refresca num dia de calor, onde todo o vosso corpo se sente refrescado pelo suave toque do mesmo. A temperatura de vossos corpos vai se harmonizando, diminuindo, até que chegue num nível onde se sintam confortáveis. Que tudo aquilo que soprarmos a vocês e transferirmos, seja de igual modo, sereno, alegre, motivador, libertador, pacífico, amoroso e impulsionador. Que toda essa troca seja baseada sempre na expansão dos envolvidos.
 
E nessa expansão e focados nela, comprometidos inteiramente com ela, em fluxo de pleno bem-estar e felicidade, vos saudamos e nos aproximamos através desta conexão e dos impulsos vibráteis de harmonia e paz emanados pelo canal ao nos convocar em consonância com aqueles que ininterruptamente emitimos. Vamos começar esse esclarecimento e prometemos algo, ele pode ser um pouco longo, mas faremos com que seja leve e divertido. Porque tudo o que vem de dimensões mais elevadas precisa ser leve e prazeroso, do contrário, não vem delas.
 
O que é denso vem de onde a densidade é a realidade comum. O que é leve só pode vir de onde há leveza. Se não há leveza nos ensinamentos canalizados por quem quer que seja, não está vindo do Seio da Harmonia cósmica, chamado por vocês de dimensões elevadas. Nós chamamos de dimensões felizes. Porque nada dá mais sentido à expansão e evolução do que a felicidade.
 
Se dissermos a vocês que quanto mais expandidos e unificados em si mesmos e com o Criador se tornarem mais felizes serão, então, teremos convencido positiva e rapidamente a muitos de irem pelo caminho da Espiritualidade. E esse é o motivo pelo qual uma boa parte dos humanos foge dela ainda. Tocamos nesse assunto porque sabemos que o tema tem sido discutido ultimamente neste blog. Tudo o que se oferece de “cima” deve proporcionar alegria. Nada que venha de nós despertaria algo que não fosse bom.
 
Não podem contagiar o vosso próximo oferecendo a ele um caminho espiritual que não soa de forma agradável e feliz. Ninguém quer seguir por caminhos resistentes. Ninguém quer seguir por caminhos de perdas e desalinhamento. A Espiritualidade, que é o caminho da expansão lúcida e consciente, deve ser oferecida tal como realmente é, um banquete de bem e benção e não como uma trilha de fardos, Carmas e pesos.
 
Talvez, muitos contestem: Mas desde que eu iniciei meu caminho de espiritualização, tenho sofrido demasiadamente! E respondemos (pela milionésima vez): Sofrem pelas vossas resistências e não pela luz que abraçam. A luz não tem nenhuma essência que possa vos fazer sofrer.
 
Não sofrem pelo Amor, mas pela negação a ele. A Espiritualidade é difícil para alguns porque largar as resistências pode ser pra eles algo difícil. Sentir-se bem não é algo difícil, é fácil. No entanto, é difícil se sentir bem nutrindo tantas desculpas e resistências. A felicidade é fácil, mas torna-se difícil ser vivida quando vocês se negam a soltar medos, negatividade, apegos, crenças infrutíferas. Sim, ela se torna difícil quando resistem a ela. Mas o que é difícil aí é viver resistindo e jamais, ser feliz.
 
É como se quisessem ir ao litoral numa viagem sabendo que precisam descer a rodovia de carro e seguir por alguns quilômetros para então, chegar lá. Entretanto, se pegarem a estrada ao contrário, realmente, alcançar o destino almejado será muito difícil, impossível, diríamos.
 
Bom, basta que desçam a rodovia no sentido que ela aponta. Basta que parem de dar meia volta e então, inevitavelmente, chegarão lá. Estão entendendo isso? Por isso, a luz ou o caminhar nela seria imensamente atrativo aos que ainda se negam a tal se os mesmos observassem em vocês, que são seus simpatizantes e seguidores, os exatos ingredientes que ela possui.
 
Se os outros (desencontrados de si mesmos) olhassem para vocês e vissem pessoas felizes, alegres, em paz, sorridentes, livres, positivas, abertas ao novo e sem resistências, todos iriam fazer a mesma escolha. Porque todos querem a felicidade. Mas, se ao observarem vocês, elas vos assistem em constante conflitos, negativos, preconceituosos, sofredores, desanimados, fechados, tensos ou abraçando caminhos de luta e Carmas que dizem ter que pagar… Respondam-nos, quem vai querer esse caminho? Seriamos os primeiros a pular fora. (risos)
 
Porque conhecemos a luz ou o que chamam de Deus. E nada que vos desalinhe vem Dele, mas da negação a quem Ele é em tudo e em todos. Compreendem isso?
 
Agora, voltando ao assunto em questão, entendemos, Vinícius, sua dúvida e suas inquietações. E dizemos mais, inquietamos você com isso porque queríamos nos pronunciar a respeito. Sabemos que há diferentes tipos de pessoas com diferentes intenções. Sabemos que a visão do que é a vida varia de acordo com o pacote de crenças de um indivíduo e toda a influência que ele sofreu no decorrer de sua vida, sua educação, suas vivências, sua estrutura psico-espiritual.
 
Tudo isso ajuda a formar vossa psique e abertura de consciência. E seria tolo ou arriscado demais nos espalharmos por aí escolhendo vários de vocês para fazerem a mesma coisa.
Seria resistente ao fluxo, conhecendo a individualidade de cada um, a originalidade do caminho e consciência ímpar que cada Ser possui, selecionarmos dois, três ou mais em vosso meio para levar a mesma mensagem. Isso, em algum momento, produziria alguma dissonância.
 
Porque nossas mensagens e os conteúdos delas, para serem devidamente traduzidas conforme nossa intenção primária ao enviá-las, precisam fluir por um canal que tenha sido devidamente preparado por nós para executar o trabalho que viemos realizar neste orbe.
 
Você (Vinícius) tem sua estrutura que foi moldada conforme tudo o que viveu e conforme quem é, aí e antes daí. E quando estava pronto, nos aproximamos para que iniciássemos o projeto pré-determinado. Não seria funcional levarmos à Terra mais de um indivíduo com a mesma abertura, porque sabemos da inconstância da vida e de todo o processo que o Ser precisa atravessar para que chegue num nível vibratório e padrão de crenças equivalentes com a essência do que viemos oferecer. Pra que prepararíamos vários para a missão Terra, se podemos preparar vários e espalhá-los em diversos mundos como esse que vivem?
 
E foi o que fizemos. Vinícius não foi o único que se dispôs a esse projeto, muitos outros o fizeram. Porém, os enviamos, cada um, a um setor (planeta). Portanto, na Terra, hoje, não há outro que esteja em consonância com este projeto específico, para ser dele canal. Porque cada projeto é dado a cada Ser. Cada espírito tem o seu projeto e não há dois projetos iguais. Há vários entre vocês fazendo projetos espirituais, mas com outras hostes, outros guias como gostam de chamar, realizando outras missões junto aos que os prepararam antes do renascimento denso.
 
Portanto, afirmamos e dizemos para que todos entendam – Podemos inspirar a todos vocês de diversas maneiras, podemos ser como pensamentos de positividade, vos trazer ideias. Podemos ser bons sonhos e soprar a funcionalidade da criação deliberada a qualquer um que se alinhe. Contudo, no quesito comunicação e transferência de ensinamentos e conhecimento, preparamos um único indivíduo que represente a nossa mensagem em cada planeta onde haja a necessidade e abertura suficientes.
 
Não estamos convocando ninguém em outro lugar da Terra para fazer a mesma coisa que Vinícius faz. Não faremos isso, não é tão simples assim. E nem funcional. Trabalhos do tipo precisam ser devidamente estruturados por muito tempo para que “eclodam” da forma como agora acontece com ele. Preferimos fluir por ele e através de sua dedicação levar a mensagem ao mundo inteiro. Podemos alcançar o mundo inteiro através dele, não precisamos de mais dois ou três para isso. Portanto, vocês não nos verão em outras mensagens e projetos do tipo, não estamos engajados neles.
 
Podemos inspirar um aqui e outro ali com alguma mensagem positiva, mas o nosso trabalho não se repetirá sobre a Terra através de outro canal, porque este que usamos foi devidamente preparado para exercer tal função. E nada se repete. Fluímos em Vinícius tão facilmente quanto seus próprios pensamentos. Seu campo magnético é aberto como uma pista de pouso para nós e isso, afirmamos, não se fez de uma hora para outra. A história não começou nesta vida, tampouco nela terminará.
 
Vinícius – Eu tinha essa dúvida porque há muitas mensagens com o nome “Elohim” e muitas delas não ressoam com seus ensinamentos compartilhados comigo…
 
ELOHIM: Você nos perguntou quem éramos, certa vez. E lhe demos o nome “Elohim”, não porque tentávamos dizer a você que éramos aqueles que muitos alegam canalizar, mas sim, pelo significado desse nome. Nenhum outro nome nos traduziria melhor que Elohim, porque somos as Emanações do Criador, assim como Somos Ele, a partir do ponto primário de emanação. Mas você poderiam nos chamar do que quisesse, desde fossem nomes que remetessem a bons estados. Poderíamos nos chamar “Alegria”, isso cabe bem em nós. Ou quem sabe “Alinhamento”, “Felicidade”, “Positividade”, tudo isso nos serviria.
 
Não nos importamos com nomes, embora sejam eles importantes em seu contexto. Agora, quem são aqueles que estão se comunicando com os outros? De onde vieram? Bom, isso importa? Não. Importa é que você conhece quem fala com você.
 
Vinícius – Quando me disseram que eram “Elohim”, fui pesquisar na internet e achei sete seres ou espíritos que levam esse nome, individualizados e atuando cada um num raio da Fraternidade Branca. E logo pensei que os havia encontrado e entendido quem de fato eram.
 
ELOHIM – Você não nos achará em imagens, tampouco em números específicos. Não podem nos contar como fazem com um time de futebol ou alunos numa sala de aula. Não podem contabilizar quem somos como laranjas num cesto, porque não somos contáveis. Nossa essência não se pode medir por números, quem somos não se pode explicar com palavras, imagens, matemática humana, nada disso. Quem somos não pode ser racionalizado, porque o raciocínio material está muito aquém da forma como nos expressamos. Não podem nos representar em raios de sete cores simplesmente, porque nos estendemos a muito mais do que as cores que vocês conhecem ou concebem.
 
Não podem nos nomear porque vibramos no inominável. Não podem nos localizar com sua inteligência porque estamos em tudo e não num único lugar. Não podem nos dar uma forma porque nossa criatividade infinita jamais nos permitira uma única aparência. Não podem colocar em nós padrões de estabilidade quando somos a manifestação e a expressão intrínseca da instabilidade constante. Não somos sete, porque não há números que possam nos achar ou nos moldar numa contagem específica.
 
Somos como as estrelas dos céus, contem-nas e se perderão na contagem, nunca chegariam a um número exato. Porque podemos ser vinte, dez, dois, um ou mil. Porque somos para vocês aquilo que podem enxergar de nós. Seremos o reflexo de vossa expectativa e preferimos assim, pois se tentassem nos ver sem isso, não nos entenderiam.
Então, sempre nos definimos como emoções e sentimentos positivos, porque em todo canto do universo alegria é alegria. Felicidade é felicidade.
 
Mas, as formas variam, números são irrelevantes em muitos lugares do cosmos, nomes são classificações dispensáveis em muitas dimensões. Toda medida humana não serve para medir nada que esteja além da vossa realidade. Portanto, não usaríamos essa roupa. É apertada demais para nós, Preferimos as roupas do bem-estar e as definições das boas emoções porque estas são nossa medida em qualquer lugar, são nosso número.
 
Vinícius – Interessante falarem sobre isso, porque há ilustrações de quem seriam vocês. Esta imagem que coloco aqui é um exemplo (ilustrativo) de como dizem que vocês “são” ou “seriam”. E nunca concordei com isso, porque conheço vocês em essência.
 
ELOHIM _ Bom, vejamos… (silêncio de reflexão) Não temos cabelos assim e nem usamos estes cortes (risos). Por que só vemos “europeus” na imagem? Nós também queremos ser orientais, africanos, ocidentais, negros, magros, gordos, baixinhos e altos. Queremos ser todas as versões da imagem humana, porque todas para nós são perfeitas.
 
Por que brancos e loiros se uma única pétala de rosa nos traduziria melhor do que todas as imagens humanas poderiam fazê-lo? Pois uma pétala praticamente nunca é comparada com outra. Vocês não veem uma pétala de rosa e saem comparando-a com outras para saberem qual delas é a mais bela. Mas fazem isso com rostos humanos. Por isso, afirmamos, uma pétala seria mais condizente com quem somos do que rostos europeus ou qualquer outro tipo de rosto humano, nome humano, forma humana.
 
Não somos humanos. “Somos” nos humanos, o que é diferente.
Assim como “somos” nos marcianos, assim como “somos” numa formiga, num cão, gato, golfinho. Nós “somos” onde e sempre que desejarmos porque se há algo que perfeitamente nos define é o “Ser” (verbo). Porque se “Somos”, então isso nos basta. Não nos apegamos às formas e nada que se baseie em contextos temporários como os da Terra.
 
Vinícius – E quanto aos nomes que deram aos ditos “Elohim”? Procedem?
 
ELOHIM – Se conseguirem nos localizar, nos definir e nos separar em individuações, aceitaremos nomes, do contrário, nada disso nos serve. Faremos um pedido ousado, lancem fora qualquer interpretação vossa a nosso respeito. E abracem apenas uma – Somos o Bem-estar que pulsa em sua forma mais pura. Apenas isso. Somos o alinhamento do Criador que emana impulsos criativos eternos e viaja pelo cosmos em expressão infinita e excelsa, inefável.
 
Somos o melhor de tudo multiplicado por mil. Somos a melhor versão de tudo infinitamente exponenciada. Pra que sermos o superficial se podemos ser o todo? Estejam certos, sempre, sempre e sempre, escolheremos ser o Todo. Porque se definir é se limitar. Não nos definimos. Novamente, apenas “Somos quem Somos” em tudo, a todo instante. E isso nos basta em nosso alinhamento, em nossa essência, em nossa Verdade.
 
Haja luz!
Canalizado por Vinícius Francis

vinicius-francisVinícius Francis
É escritor, canalizador, terapeuta metafísico e colaborador do Movimento PENSO POSITIVO.
www.os-filhos-da-alva.blogspot.com.br
E-mail: viniciusarm@yahoo.com.br

Este post foi lido 996 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>