4t6htyj

Eletromagnetismo: Tudo o que você pensa, se manifesta em sua vida

Queridos, eu respeito a crença de cada um, mas caso você queira ir até o fim no processo de autoconhecimento, em algum momento da jornada, você terá que abandonar a religião. E não que eu tenha algo contra as religiões, acontece que elas estão embaixo de dogmas, de regras e Deus, o Todo, é o mais puro amor incondicional, ou seja, não julga, não diz o que é certo e o que é errado, não pune, não faz nada além de compreender, aceitar e acolher.
 
As religiões foram criadas para te manter com medo de Deus e não para te fazer recordar que você é Deus. Jesus Cristo não fundou nenhuma religião, Gautama Sidarta, o Buda, não fundou nenhuma religião. Nenhum avatar que passou pela terceira dimensão da Terra teve como objetivo criar uma religião, todos pregavam que você e a Fonte são Um, que Deus está dentro de você e não em algum lugar específico.
 
Então enquanto você acreditar em um Deus que julga, que te pune, que de vez em quando é bonzinho com você, a autorresponsabilidade estará bem distante da sua realidade, você estará preso ao círculo vicioso do colocar na conta de Deus.
 
E independentemente do caminho que você faça, seja você um materialista, um ateu, um religioso, não importa, em algum momento você vai chegar ao autoconhecimento. Seja pelo amor ou pela dor, seja nessa vida ou daqui mil anos, também não importa, uma hora você vai querer saber quem você é, da onde você veio, o que está fazendo aqui e para onde vai.
 
E o despertar se inicia exatamente quando você decide trilhar o caminho do autoconhecimento. E para se autoconhecer de verdade, você precisa se tornar consciente de todos os seus corpos, você precisa estar ciente do seu corpo físico, do seu corpo mental e do seu corpo emocional.
 
A questão da autorresponsabilidade pode ser facilmente compreendida se você tiver a curiosidade de saber a resposta da seguinte pergunta: do que somos feitos?
 
E quando eu digo do que somos feitos, eu não estou me referindo a origem, a fonte, eu estou dizendo na terceira dimensão mesmo. Qual é a substância que nos dá forma, qual é a substância que nos permite ter um corpo físico?
 
Então ao se tornar consciente que você é feito de átomos, que os átomos são os tijolos que estão por trás de toda “matéria” no universo, você precisará fazer mais uma pergunta: o que é um átomo?
 
E para chegar na autorresponsabilidade, você precisa simplesmente compreender o eletromagnetismo. Um átomo é um campo eletromagnético e, um campo eletromagnético, tem como característica atrair para si exatamente o seu conteúdo, ou seja, emana – volta.
 
Acontece que não é somente seu corpo físico que é feito de átomos, seus corpos mental e emocional também são. Então não é somente seu corpo físico que tem um campo eletromagnético, seus pensamentos e sentimentos também têm, logo, o que você pensar, o que você sentir, é o que irá se manifestar na sua realidade.
 
E meus queridos, isso não é uma questão de misticismo, de esoterismo, de fé, é uma questão de física, é uma questão técnica da existência.
 
Mas para que tudo isso faça sentido, para que você perceba de forma consciente o eletromagnetismo atuando na sua vida, alguns conceitos precisam ser compreendidos para que o quebra-cabeça seja completado.
 
Então para começar, você precisa compreender o que são as dimensões da realidade. Uma das primeiras coisas que você aprende quando decide entrar no mundo espiritual é que tudo é energia. E esse conceito está correto, por mais que nossos olhos percebam o mundo da terceira dimensão de uma maneira sólida isso não é real, todo átomo está vibrando em uma certa frequência que, para a limitada percepção do olho humano, dá a percepção de solidez.
 
Só que tem um pequeno detalhe, não é porque o olho físico consegue enxergar somente os átomos que estão vibrando nas frequências da terceira dimensão, não é porque nossa ciência convencionou fazer ciência a partir da matéria, do que dá para mensurar com a tecnologia da terceira dimensão, que as demais dimensões deixem de existir.
 
Mas vamos relembrar: tudo é feito de átomo e, todo átomo, está vibrando a uma certa frequência. As dimensões nada mais são que faixas de frequência. Por exemplo, supondo que na terceira dimensão os átomos vibrem nas frequências entre um e dez. Na quarta dimensão, os átomos vibram entre onze e vinte, na quinta, entre vinte um e trinta e por aí vai. Então o que difere uma dimensão da outra é a frequência, é como um rádio que tem suas estações separadas pela frequência. Você não precisa comprar um rádio para ouvir a estação A e outro para ouvir a estação B, basta alterar a frequência que o milagre acontecerá.
 
E é exatamente aqui que a nossa ciência tradicional, materialista, está estagnada. Ela não reconhece a existência de outras dimensões. Aliás, eles sabem que existe um algo a mais, no caso, eles chamaram de “não-local”. É o caso do princípio da não-localidade, onde a teoria da velocidade da luz ser a maior possível foi pelos ares, deixando até os materialistas mais conservadores de boca aberta. Vamos observar quanto tempo levará para que a ciência conservadora reconheça que o “não-local”, na verdade, é uma outra dimensão da realidade, que a terceira dimensão é apenas uma das infindáveis dimensões que existem e existirão.
 
Outro ponto que precisa ficar claro é que, quanto maior for a dimensão, maior é a frequência de vibração dos átomos que a compõe, logo, falando em termos cronológicos humanos, quanto maior a dimensão, mais rápida será a realidade nela.
 
Agora vamos ligar os pontos: somente nosso corpo físico está na terceira dimensão, nossos pensamentos e sentimentos estão em dimensões superiores; nós não podemos tocar um pensamento, nós não podemos tocar um sentimento. Então quer dizer que o que nós emanamos através dos nossos pensamentos e sentimentos, primeiro, acontece nas dimensões superiores, levando um tempo para que se manifeste na matéria. É preciso um tempo para que exista a redução de frequência necessária para criar a realidade na terceira dimensão. E esse tempo de materialização é completamente flexível, depende da intensidade com que o sentimento foi emanado, depende da manutenção da crença do que foi emanado, trata-se de uma co-criação segundo após segundo.
 
Então esse é um ponto que contribui e muito para a manutenção do vitimismo, a ignorância da existência do eletromagnetismo e a ignorância da existência e da lógica que está por trás das dimensões.
 
O que eu quero dizer, meus queridos, é que muito do que estamos colhendo nessa vida é o resultado de semeaduras que foram feitas em vidas passadas. Se você for tentar entender algumas coisas apenas observando os acontecimentos da sua atual encarnação, é óbvio que não fará sentido. E dessa incompreensão nascerá uma sementinha da falsa injustiça e, consequentemente, o vitimismo.
 
Então não importa o que lhe aconteça aceite, pois é seu. O eletromagnetismo não funciona de vez em quando sim e de vez em quando não, ele trabalha vinte e quatro horas por dia, todos os dias do ano sem um único segundo de descanso. Pode ficar tranquilo que tudo que você emanar para o universo, mais cedo ou mais tarde, nessa vida ou em outra, encarnado ou desencarnado, a conta virá para você. Como diz nosso querido irmão Prem Baba: o delivery cósmico nunca falha.
 
E é exatamente esse delay, essa diferença de tempo entre você emanar e a manifestação ocorrer na matéria, que cega muitas pessoas para o fato delas estarem criando suas realidades o tempo todo. Elas não conseguem correlacionar a colheita com o plantio.
 
Outro ponto fundamental para a compreensão do tema é a diferença entre pensamento e sentimento. O coração (sentimento) tem um impulso elétrico sessenta vezes mais forte e um campo eletromagnético cinco mil vezes maior que o do cérebro (pensamento). O que eu quero dizer, meus amados, é que o pensamento dá forma, mas é o sentimento quem cria.
 
Então não adianta pensar em amor em sentir ódio, dessa forma, você estará atraindo mais ódio para você. Não adianta pensar em dinheiro e se sentir escasso, pois assim você estará atraindo escassez para você.
 
É óbvio que é muito mais provável que você venha a sentir aquilo que pensa. Se você pensa que não conseguirá fazer determinada coisa, é natural que você sinta que não irá conseguir. Se você pensar que irá conseguirá fazer, aumenta as chances de você realmente sentir que consegue fazer. Mas o que precisa ficar claro para todos é que, em última instância, quem cria sua realidade é o que você sente – é o sentimento.
 
É por isso que eu peço que todos estudem mecânica quântica, o vitimismo só é possível se você se mantiver na ignorância, se você realmente compreender as leis que regem o universo, a autorresponsabilidade surgirá de forma natural. Para quem quer se aprofundar nos estudos da quântica, eu recomendo o trabalho do professor Helio Couto.
 
E queridos irmãos, eu compreendo que a teoria do materialismo é convidativa, que a casualidade te tire da obrigação de ter que pensar em uma série de questões temidas pelo ego. Assim como eu compreendo que a teoria do Deus julgador, que é bonzinho ou malvado com você, também é convidativa, pois também te exime de questionar uma série de princípios – é assim porque Deus quer. Mas em ambos os casos, por mais que sejam amplamente aceitos na sociedade, que traga o conforto de estar de acordo com os padrões vigentes, o máximo que você conseguirá será uma riqueza material, será o poder, ou seja, uma felicidade oriunda do cumprimento das exigências do ego. Mais dias ou menos dia, você irá se questionar se não existe algo a mais.
 
A mecânica quântica é uma forma de compreender, ao menos intelectualmente, a questão da autorresponsabilidade. Mas para que isso aconteça, você terá que se livrar das crenças do materialismo, se tornando consciente das demais dimensões da realidade. Assim como você terá que se livrar da ideia de um Deus punidor, se tornando consciente do eletromagnetismo.
 
E a autorresponsabilidade só será completamente compreendida quando você se lembrar que a separação não passa de uma ilusão, que você e a Fonte sempre foram e sempre serão Um. Nós somos feitos da Fonte e a Fonte é onipotente, logo, nós somos onipotentes. O eletromagnetismo é a prova científica da nossa condição de Deuses. Não importa o que você deseje, seja a frequência que for, aquilo que você emanar irá voltar para você. E somente Deus pode ter tudo que quiser, somente Ele pode ter todos os seus desejos atendidos.
 
A autorresponsabilidade abre caminhos para o processo de autoconhecimento. E quanto mais você se autoconhecer, quanto mais se observar, mais claro vão ficando os padrões negativos, as crenças limitantes que te fizeram emanar sentimentos que não estão condizentes com o seu atual estado de consciência. E quando você consegue enxergar com os próprios olhos sua co-criação da realidade, quando você se torna consciente que é o responsável por tudo, é inevitável que você seja tomado um por um desejo de ir a fundo no processo de autoconhecimento que, fatalmente, te levará a recordação que és Deus.
 
Busque conhecimento, emita amor, seja Luz!
 
EU SOU…Andréa

Este post foi lido 6276 vezes!

2 respostas
  1. MaraHealer
    MaraHealer says:

    Somos todos um com nosso Criador. O grande desafio dos humanos é sair da posição de vítima dos acontecimentos e assumir a postura de co-criador de sua realidade. Agimos como adolescentes, Indo e voltando à infância, com medo de assumirmos as responsabilidades de nos tornarmos verdadeiramente adultos e autônomos. Aprendo a cada vez que vejo e revejo livros e videos do Prof. Hélio Couto. Ele é um avatar, que deveria ser mais respeitado e cultivado, principalmente pelos brasileiros. Gratidão por seu trabalho, Fonte Divina!! Estou amando esses ensinamentos aqui doados. Se você tiver um grupo de estudos por WhatsApp eu gostarei de participar, sendo possivel. NAMASTÈ!

    Responder

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>