julgar-820x450

Julgamentos

Os julgamentos são feitos pelo ego. Deus, em sua perfeição, é só amor e compreensão. Ele sabe da nossa jornada de experiências. Não acertamos nem erramos, apenas experimentamos e colhemos resultados. Desses resultados vêm o aprendizado.
 
Tudo está perfeito como está!
 
Quando estamos identificados com o ego, julgamos.
 
Toda vez que julgamos o próximo, rejeitamos o fluxo de conectividade que existe entre nós e essa pessoa e, assim, nos separamos mais ainda.
 
Julgar é alimentar a ilusão da separação. É aumentar a distância entre seres que vieram para serem mestres, crescerem juntos.
 
Somos todos Um, é tempo de reconhecer isso.
 
Toda vez que nos julgamos, rejeitamos nossa própria perfeição, acreditamos que erramos, nos punimos e nos separamos cada vez mais de nossa divindade.
 
Não podemos experimentar a alegria de ser parte de um todo maior, se continuarmos a nos separar na nossa essência através do julgamento e da intolerância.
 
A aceitação da Unidade nutre nossa conexão com o Todo e nos faz entender e respeitar a sabedoria que cada pessoa tem para seguir seu próprio caminho. E, nesse caso, não há qualquer tipo de julgamento.
 
A aceitação da nossa Unidade permite que vivamos o profundo saber existente em nossas consciências, ela demonstra nossa fé na perfeição de tudo o que é.
 
A percepção da Unidade que somos cria o fluxo, a conectividade, o amor incondicional e a paz que tanto buscamos, tanto no interior quanto no planeta.
 
Evite os julgamentos e viva a Unidade que todos somos.
 
Roberto Legey

Roberto_LegeyRoberto Legey
Empresário, consultor, estudioso da espiritualidade, do processo de mudança de consciência planetária e colaborador do Movimento PENSO POSITIVO.

Este post foi lido 2093 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>