Osho_HD_031

O que é iluminar-se? Osho

A mente pode estudar sobre Deus, sobre iluminação, sobre o Supremo. Pode até fingir que compreende tudo. Mas Deus não é algo que possa ser compreendido. Mesmo que você saiba algo sobre Deus, isto não quer dizer que O conheça. O conhecimento não é “sobre”. Enquanto estiver dizendo “sobre” ainda estará do lado de fora, estará caminhando na periferia, não terá entrado no círculo. (…)
 
O amor acontece quando você está vazio. A erudição existe quando você está repleto. A erudição pertence ao ego e o ego não pode nunca penetrar no centro; é periférico. A periferia só pode conhecer a periferia. Ninguém pode conhecer o centro através do ego. O ego pode estudar, pode torná-lo um grande erudito, pode até transformá-lo num erudito religioso, numa grande autoridade sobre o assunto. Você pode saber tudo sobre os Vedas, os Upanishads, a Bíblia, o Alcorão e, mesmo assim, não conhecer nada — porque o centro não pode ser conhecido a partir do exterior. É algo que acontece quando você entrou e tornou-se um.
 
(…) Você tem estudado muito, tem estado caminhando em círculo. Mas quando alguém caminha em círculo, cria uma grande ilusão; sente que está progredindo. Você está sempre caminhando e, mesmo assim, não está indo a lugar algum porque seu movimento é circular. Você apenas se repete. (…) Você anda, anda e nunca chega a lugar algum, embora sempre sinta que está chegando: “Eu já andei tanto que agora a meta deve estar mais perto!” Experimente andar em um círculo bem grande. Será difícil perceber que é um círculo porque você estará vendo apenas uma parte dele. Assim, parecerá sempre uma estrada, um caminho.
 
(…) Não que a iluminação seja difícil, mas porque, estudando, você perde a totalidade, a essência. Segue pela trilha errada. É como se alguém tivesse tentando entrar na sala pela parede. Não que entrar na sala seja difícil, mas que é preciso entrar pela porta. Se você tentar entrar pela parede parecerá difícil, quase impossível. Mas não é. Você é que está usando o meio errado. Ao iniciar a jornada, muitas e muitas pessoas começam pelo estudo, pelo aprendizado, pela instrução, informação, filosofia, pelos sistemas teológicos. Começam pelo “sobre” e, então, estão batendo no muro. (…) O que é o muro? Quando você começa pela erudição e não pelo ser, está batendo no muro.
 
Converta-se, seja! Não acumule informações. Se quiser conhecer o amor, seja um amante. Se quiser conhecer Deus, seja meditação. Se quiser entrar no Infinito, seja prece. Seja! Não colete instruções sobre a prece. Não tente acumular o que os outros dizem a respeito. Aprender não ajuda. Pelo contrário, só o desaprender é que auxilia. Abandone tudo o que sabe; só assim poderá conhecer. Abandone todas as informações, todas as escrituras. Abandone todos os Alcorões, Bíblias e Gitas — elas são as barreiras, os muros. Se você continuar batendo no muro, as portas não se abrirão — porque não estão nele. As pessoas batem no Alcorão, nos Vedas, na Bíblia e nenhuma porta é aberta.
 
O que é iluminar-se? É tornar-se consciente de si mesmo. Não é nada que diga respeito ao mundo exterior. Não é nada que se possa fazer com que os outros dizem. O que os outros dizem é irrelevante. Você está aqui! Para que ir consultar a Bíblia, o Alcorão, o Gita? Feche seus olhos — e eis você em sua infinita glória. Feche seus olhos e as portas se abrem. Você está aqui, não precisa ir perguntar a ninguém. Se perguntar, não compreenderá. O próprio perguntar demonstra que você pensa que está em algum outro lugar. O próprio perguntar demonstra que você está pedindo por um mapa. Para o mundo interior não existe nenhum mapa; não há necessidade, porque você não está caminhando para um destino desconhecido.
 
Na realidade, você não está caminhando.
 
(…) Iluminar-se significa retornar à fonte e a fonte está em seu interior: a vida está aí, fluindo, palpitando, continuamente batendo. Porque perguntar aos outros? Estudar significa perguntar aos outros. Perguntar sobre si mesmo aos outros?
 
Isto é uma tolice por excelência. Isto é um absurdo total — perguntar sobre si mesmo aos outros. O significado do estudo é este: procurar pela resposta. Mas você é a resposta!
 
(…)Não, ninguém pode responder. Não vá a nenhuma pessoa, vá a si mesmo! Quando você encontra um Mestre, tudo o que ele pode fazer é auxiliá-lo a encontrar a si mesmo; só isso. Nenhum mestre pode lhe dar a resposta. Nenhum mestre pode lhe dar a chave. O mestre só pode auxiliá-lo a olhar para o seu interior. Apenas isto. A chave está aí, o tesouro está aí, tudo está aí.”
 
Osho
 

Este post foi lido 1799 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>