maxresdefault (3)

Para sentirmos a 5ª dimensão, precisamos controlar nossos pensamentos e emoções

“A maioria de nós passou a vida presa em planos, expectativas, ambições para o futuro, em arrependimentos, culpa ou vergonha do passado. Entrar no presente é parar a guerra.” ~ Jack Kornfield
 
Eu recebo e-mails o tempo todo de pessoas que estão lutando com dificuldades muito comuns:
 
– Querendo superar a raiva
 
– Querendo lidar mais calmamente com o estresse
 
– Machucado por ações imprudentes de outras pessoas
 
– Ficando preso em ressentimento e pensando em como os outros o prejudicaram
 
– Lutando com a mudança, porque é difícil
 
– Lutando para deixar a bagunça, por causa de vários apegos emocionais
 
– Encontrando todos os tipos de obstáculos para assumir um projeto, novos negócios, escrever um livro/blog, etc.
 
E eu entendo completamente essas dificuldades, porque eu também luto com elas. Aqui eis a questão – há apenas duas coisas que nos impedem de estar presentes ou tomar a ação que queremos tomar:
 
1- As histórias que temos em nossas cabeças sobre outras pessoas, o que está acontecendo e nós mesmos.
 
2- Nosso padrão habitual de permanecer naquelas histórias, em vez de estar presente ou agir.
 
É realmente uma coisa o nosso hábito mental de ficar preso nas histórias em nossas cabeças.
 
Quando eu digo “histórias”, isso não é um julgamento sobre se o que estamos dizendo em nossas cabeças é verdade ou não. É exatamente o que nossas mentes fazem – elas formam uma narrativa sobre o mundo, incluindo outras pessoas e nós mesmos. Nossas mentes são máquinas narrativas. Você pode ver a narrativa como verdadeira ou não, mas esse não é o ponto – a narrativa está ficando no caminho de estar presente e agir.
 
Que tipo de histórias eu quero dizer? Eu quero dizer coisas que inventamos e giramos em nossas cabeças (verdade ou não):
 
– Eles não deveriam agir assim
 
– Se eles me amassem, não seriam tão imprudentes
 
– Isso é muito difícil, eu não quero fazer isso
 
– Eu não valho nada, eu continuo falhando, eu sou inadequado
 
– Eles continuam fazendo isso, eu não sei porque eles continuam fazendo isso comigo
 
– Eles me machucam, eles não são boas pessoas
 
– Eu não posso começar meu negócio / blog / projeto até que eu tenha aprendido isto, ou chegue a este lugar em minha vida, ou tenha paz perfeita no meu dia e esteja de bom humor
 
– Isso não deveria estar acontecendo comigo!
 
– Isso é uma droga
 
Essas histórias têm alguma verdade para elas, e é por isso que nos apegamos a elas. Mas essas histórias nos impedem de estar presentes. Elas não são úteis.
 
Como seria se não nos apegássemos tanto a elas? E se pudéssemos desenvolver uma mente que se apega a nada?
 
DESCARREGANDO AS HISTÓRIAS E TORNANDO-SE PRESENTES
 
Não podemos impedir que a mente invente as histórias, pois é uma máquina narrativa. No entanto, isso não significa que temos que nos apegar às histórias e mantê-las girando em nossas cabeças.
 
Observe quando você está preso em uma história. Dica: se você está com raiva, estressado, frustrado, desapontado, sentindo vergonha ou medo, sonhando com o futuro, pensando em algo que aconteceu … você está preso em uma história.
 
Observe que a história está fazendo com que você fique estressado, com raiva, com medo, seja o que for.
 
Observe que você está girando em torno de sua cabeça e está ocupando sua atenção.
 
Agora veja se você pode sair da história e entrar no momento presente.
 
Torne-se curioso: o que está acontecendo agora, na sua frente? Que sensações você pode notar em seu corpo? Como é a luz? Que sons você percebe?
 
Quando você voltar para a sua história (e você vai), tente voltar ao momento presente. Fique mais tempo. Volte suavemente, sem julgamento.
 
O que você pode apreciar neste momento? Um sentimento de apreciar o caráter sagrado desse momento, pode neutralizar a história e mudar seu modo de ser.
 
LIDANDO COM ESTRESSE E RAIVA SEM A HISTÓRIA
 
Estresse e raiva podem ser coisas difíceis, porque nós temos dificuldade em deixá-los ir.
 
Mas, e se você pudesse abandonar as histórias que estão causando o estresse e a raiva (ou frustração, ressentimento, reclamações) e simplesmente estar presente com o que estiver sentindo?
 
Entre no seu corpo e observe quais sensações existem.
 
Se você tem sensações difíceis em seu corpo, veja se você pode ser curioso sobre elas e ficar com elas, em vez de girar em torno de uma história sobre elas.
 
Fique com elas por mais tempo (elas podem estar localizados em sua área do peito), como você tentaria ficar com as sensações de sua respiração durante uma meditação de respiração.
 
Mais uma vez, quando sua mente voltar à história, volte gentilmente. Fique com as sensações. Esteja presente com elas.
 
Tocar as sensações em seu corpo, de estresse ou raiva, é uma maneira de se transformar. Não necessariamente se livra dos sentimentos, mas muda seu relacionamento com eles. Você não precisa mais se livrar deles, porque você está bem apenas com eles. Você desenvolve uma confiança de que pode ficar presente com eles, sem correr ou se esconder ou precisar fazer algo sobre eles.
 
Cada vez que você ficar estressado, toda vez que você sentir raiva, frustração ou ressentimento … essa é uma oportunidade para praticar e desenvolver confiança em si mesmo. Cada pico de medo ou estresse é uma oportunidade para transformar, abrir, permanecer e estar presente.
 
Dessa forma, todo estresse está deixando você mais consciente, menos apegado e mais aberto à vida.
 
TOMAR AS MEDIDAS SEM A HISTÓRIA
 
As histórias em nossas cabeças também nos impedem de tomar as medidas que queremos em nossas vidas – da mudança de hábitos para comer melhor, para se livrar da desordem e enfrentar esse projeto difícil.
 
Alguns exemplos:
 
– Eu não me sinto com vontade de fazer exercícios, me sinto preguiçoso, é muito difícil
 
– Eu não sei como lidar com este grande projeto, é muito complicado
 
– Eu não sei como blogar, há tanta coisa que eu não sei, eu tenho que aprender tudo antes que eu possa começar
 
– Há muita desordem, e eu não sei o que fazer com tudo isso, eu não posso lidar com tudo isso
 
– Talvez eu deva fazer outra coisa, eu não gosto realmente deste tipo de serviço, eu acho que seria melhor eu tentar outras opções que eu goste.
 
Há alguma verdade para cada uma das histórias, mas o fato é, elas estão no caminho da ação. Eles não estão ajudando.
 
O que aconteceria se simplesmente deixássemos as histórias e tomássemos providências, permanecendo no presente quando o fizemos?
 
Imagine cair em seu corpo quando você tem uma história sobre por que você não deve se exercitar… e ficar presente. Em seguida, coloque suas roupas e tênis de treino, permanecendo presente sem a história. Em seguida, fazendo algumas flexões ou começando a correr.
 
Você não precisa da história para agir. Caia no presente e apenas aja. Fique presente enquanto você age. Seja curioso sobre o que é, em vez de pensar que você sabe como será antes do tempo. Tome um “não sei” mental e descubra!
 
Não tem clareza sobre um projeto? Comece a fazer isso e a clareza virá quando você descobrir como é.
 
Teme que você não seja bom o suficiente para fazer o projeto? Apenas uma maneira de realmente saber, tome medidas e veja!
 
Sentindo-se oprimido porque há muita confusão para enfrentar? Modifique uma coisa. Tome uma atitude em um ponto na sua vida.
 
Não há necessidade da história sobre isto ser excessiva.
 
A verdade é que, mesmo que não possamos evitar gerar essas histórias, não precisamos ficar presos nelas, especialmente se forem inúteis.
 
Às vezes é bom ter uma narrativa que nos ajude a planejar e descobrir as coisas, mas muitas vezes é melhor descobrir por estar presente e agir.
 
E você pode fazer isso de maneira muito simples: basta mergulhar nas sensações de seu corpo e arredores. Perceba. Fique curioso. Fique. Volte suavemente. Aprecie a sacralidade deste momento.
 
KayRy
 
Fonte: https://eraoflight.com/ – Edição e tradução exclusiva do Trabalhadores da Luz: Laudi Fagundes e Camila Picheth.

Este post foi lido 1035 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>