shutterstock_174425774-2

Terapia holística: Um salto para a cura

Hoje me senti muito inclinada a escrever sobre este tema pois aqui falamos muito sobre o autoconhecimento, técnicas de todos os tipos, o bem-estar, o amor, a prosperidade, visualizações, permissões, manifestações, equilíbrio, espiritualidade, criar sua própria realidade…
 
Mas o que é esse conjunto de “N” coisas que podem melhorar nossas vidas, que podem nos ajudar a evoluir e a transformar, a transmutar tudo, do negativo ao ápice do positivo? Como podemos ”startar” um movimento em direção à plenitude do SER, uma vez que já tentamos de tudo?
 
Onde está o fio da meada? Como podemos nos curar, seja fisicamente, de alguma doença, mentalmente ou emocionalmente?
 
Você pode começar sozinho, claro. Pode buscar informações, estudar…
 
Mas a ajuda de um profissional é muito válida quando não sabemos por onde começar.
 
A Terapia Holística (holus significa em grego, “um todo” ou “inteiro”) explica que se temos um problema, este deve ser tratado com a SOMA de todas as partes, ou seja, a soma de todos os elementos que compõe um SER.
 
Então, há que se compreender o SER e que a tentativa de cura, envolvendo apenas uma das partes pode não obter um êxito completamente satisfatório.
 
E quais são os elementos que compõe o nosso sistema?
 
Espiritual
Emocional
Mental
Físico
 
A Terapia Holística designa que para um problema, uma doença ou qualquer dificuldade, existe uma CAUSA.
 
Não se trata apenas de resolver EFEITOS, ou seja, a ansiedade, as preocupações, culpas, medos, dor estão relacionados diretamente a um início.
 
Onde começa. A ORIGEM. E estes sentimentos desequilibrados, contidos ou enraizados acabam distorcendo a realidade nos fazendo vivenciar situações desagradáveis e muitas vezes até desesperadoras, impedindo que consigamos seguir nossas vidas com verdadeiro propósito.
 
Doenças, depressão, dores, situações extremas são simplesmente expressões de que algo não vai bem há um certo (ou muito) tempo.
 
E quem nunca, não é verdade? Eu mesma já experimentei muitas, (mas muitas mesmo) ocasiões que simplesmente me pareciam destruidoras…
 
E sim. Pareciam, apenas. Nunca irei me esquecer, há alguns anos atrás, quando descobri uma hérnia de disco na lombar, o que o Ortopedista me disse quando eu questionei o que de fato poderia ter acarretado aquilo. Ele, por cima dos óculos, calmamente me respondeu:
 
– Querida, isso geralmente é emocional… Tens passado por situações difíceis? Procure um terapeuta.
 
Naquele momento eu simplesmente não entendi. Fiz não-sei-quantas sessões de fisioterapia, junto de remédios fortíssimos… E nada! Definitivamente eu não compreendi as entrelinhas…E nem procurei um terapeuta…
 
O fato é que por diversas vezes na vida, tropeçamos e caímos de cara nas resoluções para nossas dificuldades, e nós simplesmente batemos a poeira e seguimos em frente, sem dar nem uma pequena importância àquilo que poderia ser a chave para todas as portas…
 
Então, o que eu posso dizer a vocês é que existe uma gama enorme de soluções, dentro da Terapia Holística, só esperando que você escolha, descubra e resolva! A melhor descoberta que você pode fazer hoje é a de SÍ MESMO!
 
E como eu digo sempre: o que você está experimentando neste momento, embora seja um pouco difícil ouvir isso, (ou ler) é apenas um reflexo de seu interior. A Terapia Holística pode e irá te ajudar a alavancar! Anime-se em se reencontrar com sua totalidade!
 
Dedique-se em se transformar no melhor de você mesmo! Busque as respostas para todos os seus porquês! Tenho plena e absoluta certeza, e afirmo com muita propriedade, que só existe um caminho.
 
Um caminho só de ida, te aguardando há muito tempo e de braços abertos pra você: o de dentro.
 
“Eu não posso lhe dar um mapa. Eu só posso lhe dar uma grande paixão por descobrir.” (Osho)
 
Amor & Luz
 
Juliana Nishiyama


Juliana Nishiyama
É Psicoterapeuta Holística & Healer, Practitioner EFT, Reikiana, colunista e colaboradora do Movimento PENSO POSITIVO.
Email: julianaterapiasholisticas@gmail.com

Este post foi lido 3804 vezes!

1 responder

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>