Post 5-E

Você é uma expressão do amor na Terra

A vida de cada um é uma história. Toda pessoa nascida na Terra possui características físicas. Cada um é um caráter, uma personalidade e é um ator numa peça de teatro, uma peça muito convincente. À medida que você desempenha seu papel, você o leva a sério. Você realmente entra no papel que você desempenha. Sua capacidade de desempenhar um papel é enorme. Você engana todo o mundo. Você assim como todo o mundo acreditam nos contornos de sua história. Isto é o que vocês chamam de Verdadeira Vida, enquanto não há nada assim.
 
Esta é uma imagem da vida, uma fotografia tirada com uma lente especial. Há no interior desta foto, uma imagem completamente diferente, frequentemente oculta.
 
O que eu quero destacar hoje, desde que você acredite na vida cotidiana, é que é incrível. Em algum lugar em você, você sabe muito bem que esta vida percebida não é real. É irreal e ainda assim você presta um grande serviço a ela. Você desempenha muito bem seu papel e você o leva a sério. Você aceita como fatos o que, na realidade, são miragens.
 
Uma miragem de água no deserto, não lhe dá água para beber. Este não é o seu alimento, e sua vida limitada na Terra não lhe dá sua comida. Oh, sim, ela nutre o corpo. Ela cumpre o seu papel na atividade, mas não é a Verdade. É um mundo dentro de um mundo.
 
Assim como uma grande notícia ou um grande poema pode ser lido em diferentes níveis, a história de sua vida pode ser lida em diferentes níveis. Você que descreve eventos, você se faz prisioneiro das ações. Você é ancorado de certo modo neles.
 
Você tem certeza de que suas ações e todos os eventos são indiscutíveis. Nós estamos lidando num nível de vida. É externo e limitado, enquanto você, você é ilimitado. Você está certificado como ilimitado.
 
Nós podemos ver que a sua visão é microscópica em vez de macroscópica. Tão longe quanto você pode ver, você vive num quarto e Eu lhe digo que você vive numa parte ilusória como um ator que vive num palco. Você acredita que este papel que você desempenha é sua própria substância. A peça que você desempenha é um interlúdio. Você não pode se agarrar a ela.
 
Preso ao papel que você desempenha, você o segura a todo custo, e para você é tão sério quanto possa ser.
 
Na verdade, você é tanto um observador de sua vida quanto você é um ator nela. Você é movido por impulsos que você chama de sua existência. Eu não cesso de lhe dizer que você é Ser. Você é a tranquilidade, até mesmo em seu papel no teatro da vida. O papel que você desempenha é delével. Em certo ponto, a ficção termina e você não é mais o ator que interpreta o papel de uma pessoa na Terra. Você estava ligado num papel que você pensa de ser uma extensão de você mesmo. Durante um tempo você se ocupa. Você vive num corpo que não é o seu e que não tem nada a ver com você, porque você é Imensidão e não está limitado ao papel que você desempenha.
 
A parte que você desempenha pode ser maravilhosa e bela, mas você ainda é maior do que ela.
 
Não é necessário levar o papel que você faz e os eventos que acontecem tão a sério como você faz. Você se agarrou as ações e aos eventos como se sua vida dependesse deles. Você está imerso na história chamada Vida na Terra, porém no final, você não segura nada, Meu amado, você abandona seu prêmio. Toda a tensão não tem mais poder sobre você. Deixe ir a tensão agora.
 
Você não é obrigado a ser tão tenso no que se refere à ilusão. Uma história se desenrola, mas você não é a história. Você existe em outro plano. Esta vida na Terra não é um fim em si mesmo.
 
Deixe ir a seriedade e alivie a tensão. Você não tem que estar tenso agora, como se estivesse segurando uma tábua de salvação.

Este post foi lido 1715 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>