Sadness_by_joiM (1)

A dor – Um caminho para ser inteiro e feliz

Em 11 de junho de 2014, perdi meu pai. Depois de 6 meses de muitas internações, dores, coma, lágrimas, desesperanças, sustos – a pior das dores – a perda. Cuidei dele todos os dias, o trouxe para morar comigo e nossas fraquezas eram reveladas a cada dia! Até que ele se despediu e me deixou uma grande lição – como sentir a dor!
Quando estamos no olho do furacão, quando não conseguimos nos prender ao chão e somos arrastados pela ventania de tudo o que nos machuca, finalmente aprendemos a conviver com o caos.. Uma hora nos acostumamos. E depois de nos acostumarmos, até começamos a ver o que há de bom no lado ruim da vida. Deve ser a tal da luz no fim do túnel, aquele momento da revelação, da transformação…
Eu realmente não posso dizer que a minha dor foi só ruim, de tanto que aprendi. Até passei a admirar esse sentimento que finca nossos pés no chão e muda toda nossa referência.

A dor pede para entrar

A dor dói, mas dói mais ainda quando mal vivida, mal resolvida. A dor bem vivida é aquela bem sentida, quando abrimos as portas e a deixamos entrar, a recebemos de braços e olhos abertos.. Quando deixamos nosso corpo esvaziar em lagrimas, quando deixamos a carne estremecer, quando deixamos queimar o estômago… A dor vem poderosa e transformadora quando olhamos de frente para ela e nos deixamos levar..Ela nos carrega, nos vira do avesso, mas depois de fazer sua trajetória dentro de nós, sai devagar e se despede de uma nova pessoa.

A dor tem a sua missão – precisa nos entregar sua mensagem. Se recusamos a recebe-la, ela fica a nossa espreita e na menor distração, no primeiro filme triste, nas primeiras desavenças, numa imagem mais tocante, ela se faz presente como conta-gotas… e vai passando seu recado no dia-a-dia, de maneira torta. As dores que não entram em nós tiram nosso sono, nos levam aos consultórios de terapeutas, aos remédios, às drogas…O sofrimento de uma dor que não entrou é muito maior do que a varredura que ela faz ao passear pela alma e pelo corpo.

E se deixamos ela chegar? Onde ela pode nos levar?

A dor muda nosso foco! Nos faz esquecer do que está lá fora, nos leva a olhar para dentro. Faz o corpo doer, o pensamento pesar. É um convite para entrar com ela em nós…um convite ao autoconhecimento. A dor te faz olhar pra dentro!

A dor muda nossa referência! Trocamos prioridades e começamos a dar valor ao essencial na vida, nosso ritmo, nossos encontros e relacionamentos, nossos sonhos, família , amigos..Tudo o que é mais simples se torna grandioso nessas horas… e as nossas questões antes tão gigantes perdem o poder “Que roupa, que festa, que emprego, que imagem..?” A dor te lembra o que importa!

A dor te fortalece! Sim, clichê, mas verdade! Quando chegamos onde achamos que não iríamos suportar e, depois do minuto seguinte, continuamos vivos e respirando… quando a lágrima seca por alguns instantes e você segue seu dia – você vê que ela não te destrói – você passou por ela. A dor te mostra que ela não é o fim!

A dor te amolece! Sim, se para uns a dor é uma lição de força, para outros a dor pode ser uma lição de se deixar cair, fragilizar. A arte de assumir fraquezas e impotências é difícil para aqueles que sempre estiveram no casulo de “serem fortes e de serem o porto seguro de alguém”. Precisamos também saber pedir ajuda e saber receber… faz bem pro coração. A dor destrói toda a resistência até que nos vemos aceitando um colo.. e depois vemos o quanto é bom também nos sentir cuidados. A dor te aproxima!!

A dor coloca seus pés no chão! Te chama para a realidade e faz com que você busque recursos internos que nem sabia ter, para resolver de forma prática o que precisa ser resolvido. Nas horas de dor, quando não aguentamos mais, surge aquele sentimento de “preciso fazer algo para sair dessa situação” e você olha para a realidade, para sair do buraco que se acha. A dor te ensina a agir e transformar!

A dor abre suas mãos! Nos tornamos mais generosos quando conseguimos olhar para o outro que sofre e nos lembrar de como atravessamos a nossa noite escura. A dor nos torna mais respeitosos com as lutas de quem está ao nosso lado, pois passamos a saber o que acontece dentro de quem chora, grita, se recusa a seguir. A dor te torna generoso!

A dor testa seus valores! Quando precisamos abrir mão de tantas coisas, aquelas que não abrimos são as nossas bases, os nossos limites.. é o que nos sustenta. A dor te lembra do que você é feito!

A dor te leva além! Do que é feita sua fé, até onde você acredita em algo mais? Nas horas mais dolorosas, você vai gritar e pedir ajuda para o “algo mais”. É a sua hora de conexão, de contato com o mistério que nos cerca. A dor te conecta com a força da vida!

A dor é um processo, do jeito que veio, vai… mas não te deixa do jeito que te encontrou!
Então abra bem os olhos, respira fundo, convida a dor e faça essa viagem junto com ela!
No fim, o que resta é sempre bom: uma pessoa inteira, fortalecida, crescida… professora de si mesmo!

Alessandra Riscado

alessandra-riscadoAlessandra Riscado
Coach e terapeuta para autoconhecimento e autogerenciamento pessoal e colaboradora do Movimento PENSO POSITIVO.
www.alessandrariscado.com

 

Este post foi lido 9994 vezes!

4 respostas
  1. Lenise Fulton
    Lenise Fulton says:

    Alessandra, perdi minha mãe há pouco tempo ,mas a dor que carrego dentro de mim não passa.
    Depois de ler esse texto com a mais linda e perfeita “leitura” da palavra Dor, comecei a sentir um alívio dentro de mim.
    Li várias vezes e estou convencida de que todas as etapas serão vencidas e que vou ter paz no final do processo para continuar vivendo e aceitando a morte da minha mãe.
    Obrigada por ser uma pessoa tão sensível e preparada e, especialmente , por dividir tudo o que sabe .
    Sou Brasileira e moro no Canadá há 15 anos e você é o meu raio de esperança no meio de tanta dor.
    Um grande abraço.

    Lenise Fulton

    Responder
    • Alessandra Riscado
      Alessandra Riscado says:

      Querida Lenise, fico feliz de poder ajudar de alguma forma no seu caminho de aprendizado.
      Sei o quanto é difícil e o quanto você sairá transformada. Estamos aqui para aprender a amar, a desapegar e isso ocorre muitas vezes através da dor. Esteja certa que a dor vai se transformar em uma pessoa melhor. A memória ficará e será menos doida. Você vai passar por isso de uma forma melhor, na medida em que aceitar o processo – viver a dor, sentir a dor, chorar a dor e depois deixa-la ir – porque também precisamos nos desapegar da própria dor.

      Em algum momento do processo você pode se sentir tentada a ficar na dor, porque ela pode te trazer algum colo ou porque através dela você se sentirá mais próximo de sua mãe. Nesse momento, se lembre dessas minhas palavras – deixe também a dor ir e assim você vai receber sua mãe de volta, em outra energia, em outra relação. Vocês não estão separadas, senão por um véu da matéria – um dia, todos estaremos juntos. Guarde essa certeza no seu coração, alimente seu espirito de confiança e paciência! Não existe separação – é uma ilusão. E você chegará nesse lugar de tranquilidade já já. Acolha sua dor, deixa entrar e depois sair. Receba meu carinho e a luz que chega do Universo para te sustentar! Um abraço carinhoso, Alessandra.

      Responder
  2. Valéria Carvalho
    Valéria Carvalho says:

    Me vi inteira no seu texto. Perdi meu pai no hospital onde sou servidora, após ter amputado a primeira perna durante o final da minha gravidez, quando minha Sophia fez 6 meses ele amputou a outra enquanto eu me revezava entre estar com ele na cirurgia e amamenta-la no vestiário. É difícil continuar trabalhar lá… Dou o melhor de mim para cada paciente te cuido, como eu gostaria que fosse tratado. Mas ainda dói, e muito…

    Responder
    • Alessandra Riscado
      Alessandra Riscado says:

      Valeria, dói muito sim! Perder quem amamos, ainda mais nossos pais, pode ser a pior dor. Tente se lembrar que tudo passa e você passará por isso. Somos energia pura, estamos todos juntos, não existe separação real. Você ainda não pode estar fisicamente com seu pai, mas estão unidos pelo amor. Se una a ele através do coração, pois essa relação ainda existe e sempre existirá. Cultive pensamentos elevados ao pensar nele, envie suas mensagens, suas orações, seus beijos, abraços e vibrações amorosas – ele receberá todas. E você também receberá as emanações dele de puro amor. Se conecte de outra forma, que não pelos olhos físicos – estamos todos juntos! Muita paz no seu coração e conforto nos seus dias! Um abraço, Alessandra

      Responder

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>