Paz

Momento de transição e transformação

A humanidade está vivendo um momento de transição e transformação e precisa de nossa ajuda mais do que nunca. Por que será que o planeta vive hoje uma crise tão profunda em todos os sentidos? Há guerras, atentados terroristas, epidemias, doenças incuráveis, drogas, fome, catástrofes naturais, destruição da natureza e do próprio ser humano. As nossas crianças e adolescentes estão se matando uns aos outros e encontramos o medo, a violência, o crime, a corrupção, o egoísmo e o ódio em todas as partes do mundo. Até mesmo nosso entretenimento está crivado de violência.

Isso tudo é apenas reflexo do nosso interior, dos nossos conflitos internos, nossos medos, nossa falta de unidade com o todo, nossa falta de amor com nós mesmos e, consequentemente, com o próximo. O exterior é simplesmente o reflexo do nosso interior e ninguém tem dado muita atenção ao ser interior. Isso tem sido a raiz de todos os problemas.

Mas, por que o ser humano parece ser tão pequeno e a sociedade tão grande? As pessoas se enganam quando pensam que mudando a sociedade estarão mudando os indivíduos.

Nunca vai ser assim, pois a sociedade é apenas uma palavra. Existem somente indivíduos, não existe sociedade. A sociedade não tem alma, você não pode muda-la em nada. E o que acontece é justamente o contrário: Os pais, as escolas, as universidades, as instituições políticas e religiosas, todos cooperam neste processo de tentar moldar sempre o indivíduo, transformando-o numa massa amorfa e manipulável.

Infelizmente, desde a infância, você não é aceito como você é. Dizem-lhe: “Seja desta maneira, só assim você será aceito. Se quiser viver do seu jeito, você será rejeitado por todos”. Eles precisam fabricar você de acordo com seus desejos, projeções e expectativas pessoais e sociais. Domesticando você da mesma forma que domesticamos cães, gatos e outros animais, com castigos e recompensas. Isso é perfeitamente normal em nossa sociedade. O que achamos de educação não passa de domesticação de seres humanos. No início, temos medo de punição, mas depois desenvolvemos o medo de não ser recompensados, de não sermos bastante bons para o papai, pra a mamãe, o professor, o padre, etc. Nasceu a necessidade de sermos aceitos. Antes disso não nos importávamos se éramos aceitos ou não. As opiniões dos outros não eram importantes. E não importantes porque enquanto crianças, apenas queríamos explorar o mundo, divertir-nos e viver o momento presente. Então, o medo de não sermos recompensados logo se transforma no medo de rejeição.

O medo de não sermos bons o suficiente para alguém é que nos faz tentar mudar, que nos obriga a criar uma imagem. Assim tentamos projetar essa imagem de acordo com o modo que os outros querem que sejamos, apenas pra sermos aceitos, apenas pra recebermos um recompensa.

Quando aprendemos a fingir que somos o que não somos, começamos a praticar, tetando ser outra pessoa, apenas para sermos bastante bons para a família, para o professor, para a religião, ou seja lá pra quem for. Praticamos sem cessar, e dominamos a arte de ser o que não somos e logo esquecemos quem realmente somos e começamos a viver nossas imagens (máscaras).

Porém não criamos apenas uma imagem, mas várias, de acordo com os diferentes grupos de pessoas com que nos relacionamos. Criamos uma imagem para nossa casa, outra para o escola e quando nos tornamos adultos, criamos muitas outras.

Noventa e nove por cento dos problemas do corpo e da mente vêm exatamente disso; da mentalidade que temos que ser perfeitos e santos para que possamos ser aceitos e amados.

Acabamos por rejeitar muitos aspectos do nosso ser e empurramos eles lá para o fundo, varrendo a sujeira para debaixo do tapete. E, na verdade, é através da aceitação amorosa das nossas imperfeições é que crescemos e evoluímos.

Você pode mudar somente a si mesmo, e por menor que isso pareça é o princípio de algo muito maior e quando os homens entenderem que nós somos unos com a Energia de Deus, com a natureza e com nós mesmos, aí sim, alcançaremos uma sociedade que será harmoniosa; que será muito melhor que todas as ideias produzidas por todos os utopistas durante milhares de anos e então a realidade será muito mais bela. Pois a harmonia do planeta só será restaurada mediante a cura da humanidade e essa cura começa e termina em cada um de nós.

Carlos Humberto Soares Junior
Colaborador do Movimento PENSO POSITIVO

Este post foi lido 2635 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>