pessimismo

O Pessimismo

A Monada
04.03.2015

“Os pessimistas, geralmente, consideram-se grandes filósofos, grandes sábios, e o que é extraordinário é que eles conseguem convencer os outros disso mesmo. Na realidade, são grandes ambiciosos que desejam coisas impossíveis e que, não conseguindo realizá-las, se deixam levar pelo desgosto e pela misantropia.
Daí, retiram uma concepção enganosa da vida e dos humanos, que vão expor por toda a parte imaginando que assim demonstram uma grande profundidade de pensamento e uma grande lucidez. De modo nenhum, até é o contrário: o seu ponto de vista está completamente enevoado pelos seus humores negros.
É permitido ficar consternado, mas só por causa das dificuldades ou das infelicidades dos outros, não por causa das suas ambições e desejos frustrados. Quem cai frequentemente neste estado não é muito evoluído, pois esse pessimismo é-lhe geralmente inspirado pela sua natureza inferior sempre insatisfeita. Então, ele deve esforçar-se por sair dessa situação, senão nunca saberá o que é a verdadeira vida.”

Mais um texto inspirador de Omraam Mikhaël Aïvanhov que nos leva a pensar em como nós somos por vezes tão pessimistas perante o que julgamos ser a realidade.
O problema é que o pessimismo é em si mesmo um bloqueio energético grave que vai fazer travar todo o processo de evolução pessoal, quer em termos do fluxo de energia que gostaríamos de trazer para as nossas vidas, como também no nosso processo de evolução interno.

Como o autor refere, é bem provável que por baixo de uma personalidade muito pessimista exista um Ego enorme e esmagador. Tendencialmente este tipo de pessoa sofre e a faz sofrer os outros, com o peso do seu grande Ego, e se ainda por cima se arrogar de intelectual, então ainda pior, pois tudo que que sabe, tende a aplicar nas suas teses derrotistas e na sua visão negativa sobre o mundo.

O pessimismo é pois uma energia muito densa e muito contagiosa, pois torna-se muito apelativa aos nossos corpos emocionais de dor, veja-se por exemplo que os programas de TV mais vistos, são normalmente os telejornais (notícias) normalmente cheios de reportagens de acidentes e catástrofes. As mídia atuais exploram exaustivamente e continuamente o efeito emocional atrativo da negatividade e do pessimismo. Por oposição os anunciantes exploram todo o tipo de ofertas que possam proporcionar a felicidade pessoal, como se ela dependesse de um desodorizante ou de uma férias algures no estrangeiro, tentando apanhar os tempos de maior audiência, normalmente vendidos a preços mais elevados.

A pergunta que poderemos nos fazer, é como nós podemos nos libertar de toda esta negatividade e pessimismo?
Claro que uma solução óbvia seria ver muito menos televisão, sobretudo os telejornais, e todos aqueles programas, que para atrair audiências, exploram as emoções humanas até ao extremo (como exemplo os reality shows).

A outra é de nos lembrarmos continuamente o que somos e como devemos expressar o que somos.
Lembremo-nos pois que, não obstante tudo o que possa acontecer no mundo, cada ser humano é filho de Deus. Por isso tem dentro de si a centelha Divina do Pai/Mãe seu criador e por isso mesmo é na sua essência: LUZ, AMOR e PAZ.

Mas mais importante do que isso, é nos lembrarmos, que errar não é apenas humano, mas sim Cósmico e o erro, se existe de fato, depende sempre dos olhos que o classificam como tal.
Para se tornarem bem mais positivos, lembrem-se também que são sempre MUITO AMADOS por Pai/Mãe e sintam-se como tal.
Fiquem bem…

A Mónada

http://nave-azul.blogspot.com/

Este post foi lido 1509 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>