girlmusic2

O poder das emoções

Da mesma forma como utilizamos os cinco sentidos físicos para interpretar a experiência na vida física, nascemos com outros sensores – as emoções- que são os intérpretes vibráteis que nos ajudam a entender nossas experiências.
 
As emoções são os indicadores mais fiéis do conteúdo vibrátil do nosso ser. Por isso, quando nos conscientizamos do sentimento presente nas nossas emoções mais habituais, fica fácil perceber o tipo de vibração que estamos oferecendo ao Universo, assim como o tipo de retorno que devemos esperar.
Há três estados emocionais possíveis:
1. Quando nossos pensamentos estão alinhados com o ego, sentimos desarmonia, apatia, medo, ansiedade, depressão, preocupação, tristeza, raiva. Mesmo quando uma emoção surge como uma reação a um acontecimento, normalmente vem associada com uma interpretação mental na forma de um julgamento – bom ou mau, semelhante ou diferente, melhor ou pior.
2. Quando nossos pensamentos estão alinhados à Essência, sentimos harmonia, entusiasmo, alegria, amor, paz, sensação de liberdade, enquanto durar o alinhamento;
3.Quando há o alinhamento total com a Essência sabemos que somos amor, que somos livres, poderosos, valorosos e que tudo está em ordem.
A progressão do primeiro ao terceiro estado é perfeitamente possível de acontecer no período de uma vida encarnada. Pode ocorrer subitamente , quando deflagrada por uma experiência mística ou, mais comumente, como resultado da busca pelo autoconhecimento e iluminação espiritual.
Quando desconhecemos ou negligenciamos essa possibilidade, permanecemos aprisionados no cárcere da ilusão, colhendo todos os tipos de dificuldades, incluindo as doenças.
Mabel Cristina Dias
 

Este post foi lido 2273 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>