140608-casal-brigando-getty

Relacionamentos x Energias

Muitas pessoas não sabem, mas existem inúmeras formas de troca e “roubo” de energia.
Quantas vezes você já acordou bem disposta, tomou o seu café da manhã e saiu para trabalhar. No final do dia, toda a sua força se esgotou como se um trator tivesse passado em cima de você?
Diariamente, várias pessoas interagem com você e não existe um rótulo que diz “pessoa com boa energia” ou “pessoa com energia ruim”. A energia pode ser trocada de várias formas pelo toque, pelo beijo, pelo ato sexual em si, enfim pelas interações em determinados grupos sociais.
 
Mas infelizmente, as pessoas banalizaram de uma tal forma o convívio com o outro, que o beijo – uma ação linda que deveria ocorrer entre duas pessoas que se gostam – agora é motivo de competição e satisfação de desejo rápido. e você escuta alguém falar que foi pra uma balada e “ficou” com seis, sete, oito pessoas na mesma noite.
 
Temos que colocar em mente que cada ser humano é um universo particular de energia e que de acordo com sua evolução ele se encontra em determinada faixa vibratória energética.
 
Imagina se uma garota daquela balada “ficou” com um rapaz mau caráter, que já forçou várias meninas a ficar com ele e que puxou o tapete de amigos dentro da empresa onde trabalha?
 
Com certeza, além dela estar correndo o risco de uma violência sexual, ele não tem absolutamente nada de bom a oferecer, além de toda a esfera maléfica que o envolve.
 
Não estou dizendo aqui, para que todos se transformem em pessoas “pesadas” e “sem vida”, mas sim estou falando em “se dar o respeito” diante de situações como essa.
 
Outro fator importante que deve ser levado em consideração em relação às trocas de energias são os relacionamentos doentios e dependentes, seja na linha da amizade e convívio social seja na linha do sentimento.
 
Você com certeza deve conhecer alguém que quer se libertar de uma relação doentia com o namorado (a) e não consegue.
A primeira fase que podemos identificar nesse tipo de relação é:
 
- Estou apaixonada(o).
 
- Ela é minha melhor amiga(o).
 
Aqui, um amor cego, ou amizade doentia não consegue enxergar mentiras, más intenções, os defeitos do outro que estão prejudicando a pessoa envolvida.
 
É um conselho errado mas “sem segundas intenções daqui” ou uma atitude errada dita como certa dali, etc.
 
A segunda fase é aquela em que a pessoa começa a perceber que algo não está legal e diz:
 
- Isto está me fazendo mal, isso está errado mas eu vou dar mais uma chance.
 
De repente ele(a) volta e faz mil e uma promessas, ou duas mil explicações e de uma chance passa pra duas, três e o único pensamento: – agora vai! vai dar certo!
 
A decepção acontece, e a terceira fase é :
 
- Quero me libertar.
 
É um processo doloroso porque aquele relacionamento já faz parte de sua vida, foram meses, anos de convivência com a pessoa, aí bate o desespero e a sensação de vazio, impotência, fracasso… e vem a pergunta:
 
- Onde eu errei? em que momento eu falhei? Por que não dá pra ser como era antes?
 
Tomar consciência de tudo isso dói muito. Mas a única coisa que posso dizer desse tipo de relacionamento é que esse vai e vem de emoções e decepções, esperanças e frustrações foi simplesmente um processo de “roubo” de energias, é uma espécie de “dopping” emocional no qual só a pessoa totalmente envolvida sofre.
Todo o investimento de amor, amizade requer energia, infelizmente era um sentimento de mão única, sem retorno, um sentimento que não existe, e se existe é apenas seu, é uma troca injusta de tudo por migalhas de sentimentos.
 
No começo, “lá no fundo” chega-se a pensar que o sentimento pode segurar tudo: a omissão, o desprezo, o descaso mas chega uma hora que não dá pra suportar e quando se percebe que você já não tem mais nada a oferecer acontece a ida sem volta. O namoro não é mais o mesmo, a amizade também não, já não ha mais o que tirar, porque todas as suas forças foram esgotadas.
 
Enfim acaba a ilusão, o sonho… e a realidade é que você está só e um luto parece ser interminável. Mas prefiro dizer que não se está só, chega um momento em que você tem que se gostar, se curtir. Seja uma companhia agradável para si mesma. Seja alegre, feliz, traga leveza ao ser, traga energias boas, troque energias boas!
 
Fonte:Para uma Nova Consciência

Este post foi lido 5770 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>