Post 1-D

Sobre aquela sensação de estarmos enlouquecendo

O que há no intervalo entre ti e um Buda???
 
Uma loucura completa!
 
Durante nossa busca espiritual existe duas coisas que acontece com a gente de extrema importância, coisas do tipo que deveríamos saber desde o princípio para que não haja medo e muito menos mais confusão.
 
Comum na nossa busca espiritual almejarmos o estado búdico do Ser. Olhamos para a imagem de Buda sentado embaixo de uma árvore e vislumbramos essa possibilidade – a possibilidade da iluminação espiritual.
 
Até ai tudo bem, mas alguém já parou pra pensar o que pode rolar nesse intervalo antes da iluminação???
 
Um Buda já é um ser realizado, mas nós não!
 
No intervalo que há entre ti e Buda, algo mais acontecerá – a loucura completa!!!
 
Quem nunca sentiu essa ponta de loucura levanta a mão!?!
 
…imagina eu lendo isso no livro ontem?!Feliz por saber que isso faz parte desse processo rsrsrsrs
 
Continuando: se estás sendo firme em seu propósito, ficando no aqui e agora, certamente logo o primeiro satori acontecerá, o primeiro vislumbre da iluminação. E esta será sua situação interior: de início o iogue sente que sua mente está despencando como uma cascata porque a mente começa a dissolver-se. Se permaneceres desprendido e natural, fiel ao momento do aqui e agora, a mente começará a dissolver-se. Se te conservares no aqui e agora irá conservar uma energia natural, sem te voltares para o passado e sem te voltares para o futuro, terás tal energia para dissolver a mente. Assim tudo cai, não temas, isto é belo!
 
Basta a palavra “cai” e o medo aparece, porque cair significa cair num abismo, perder seu apoio no chão, passar para o desconhecido. E a queda traz, consigo, uma impressão de morte, e é quando a pessoa começa a sentir medo.
 
De alguma forma, tu vinhas mantendo, de alguma forma estavas inteiro, forçando o controle sobre ti mesmo, uma disciplina. Agora, sendo desprendido e natural, tudo está caindo. Muitas coisas antes suprimidas borbulham, vêm à tona, e tu encontrarás o caos por toda a parte, tu ficarás como um louco.
 
O primeiro passo é realmente difícil de ser transporto, porque, tudo o que a sociedade forçou em ti cairá, tudo o que aprendestes cairá, todos os teus caminhos simplesmente desaparecerão.
 
Tua identidade se evaporará, não poderás saber quem és. Até aquele momento sabias bem quem eras, teu nome, tua família, teu status no mundo, teu prestígio, tua honra, isto e aquilo; tinhas consciência de tudo isso. Mas, subitamente, tudo se estará dissolvendo, a identidade perder-se á. Tu eras sensato, segundo as regras do mundo, elas se estão desvanecendo e tu te sentes completamente ignorante.
 
Diz-se que para esses momentos uma escola é necessária, uma escola onde haja alguém que possa tomar conta de ti – os ashrams, mas na nossa realidade aqui e agora não temos nenhum ashram disponível para que nos ajude a passar por esse turbilhão, então lendo esse trecho percebi o quanto é importante buscar ajuda nos meios que nos cerca: Internet, Facebook, Youtube através de vídeos etc…
 
Satsang e apoio da Sangha é fundamental!
 
Por isso a dificuldade de encontrar quem possa nos entender sem nos julgar como loucos porque a sociedade “normal” nos forçará a procurar ajuda médica, a ir para um hospício na qual possamos nos tratar…
 
Tentarão nos trazer de volta, ao “estado normal”, mas já não dá mais, estamos finalmente crescendo!!!
 
Romperam-se todas as cadeias da sociedade!
 
A meditação ajudará a chegar a esse primeiro satori. No primeiro satori tens que deixar que tuas energias se movimentem, de forma que todas as camisas de força em torno de ti se rompam e todas as cadeias sejam repelidas. Não tenhas medo, caia facilmente e deixe que isso aconteça, não te agarres a coisa alguma porque só retardarás o momento – cai!!! Quanto mais cedo tombares, mais cedo a loucura desaparecerá, se adiares, então a loucura poderá durar muito tempo.
 
O caos é necessário porque toda ordem é imposta, e não é uma ordem real. Toda disciplina é forçada, e não é tua disciplina interior.
 
Antes que chegues ao interior, o exterior tem de ser abandonado, antes que uma nova ordem nasça, a velha tem de cessar – e haverá um intervalo. Esse intervalo é a loucura. A pessoa se sente como quem despenca, como uma cascata que despenca para o abismo, e esse abismo parece não ter fim.
 
Se esse ponto for passado, se esse primeiro satori for vivido, então uma nova ordem surgirá, vinda de teu próprio ser. Agora uma nova ordem surge e tem a qualidade de uma libertação. Vem uma disciplina naturalmente; ela é tua; ninguém impõe, ninguém diz: “Faze isto! Tu simplesmente faz o que é certo.
 
Que acontece quando aceitas todas as loucuras, quando deixas que venham? Elas desaparecem por si só.
 
Se conseguires passar pelo estado caótico, então o segundo se seguirá muito, muito facilmente, por sua livre iniciativa. Tu te tornas silencioso, tudo se acalmou, agora tudo flui silenciosamente. não podes nem sequer perceber se ele está fluindo, porque tudo se move como se não se estivesse movendo, facilmente.
 
 
Alcança a realização interior
Inata, sem esperança – sem ir a qualquer alvo,
Sem pressa, sem precipitação;
Aprecia, apenas…cada momento.
Como o Ganjes, ela flui, lenta e suavemente.
 
Esse segundo estágio tem a qualidade do absoluto silêncio, calma, quietude, tranquilidade, recolhimento, integração no lar, repouso, relaxamento.
 
Então, subitamente, fluindo em silêncio, ele alcança o oceano e torna-se um com o oceano – vasta expansão sem fronteiras. Agora já não é um rio, agora já não é um indivíduo, uma unidade, agora não existe ego.
 
- Texto retirado do Livro TANTRA A SUPREMA COMPREENSÃO – OSHO
 
Bom gente, então não se preocupem, NÃO ESTAMOS ENLOUQUECENDO rsrsrs
 
Beijos no coração
 
Namastê
 
Viviane Akiyama
 

Este post foi lido 1954 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>