post-1-b

Uma questão de ponto de vista

Já se pegou julgando alguém pelo simples fato de essa pessoa não pensar ou agir como você? De vez em quando, julgamos alguém de forma positiva ou negativa. Ou seja, formamos um conceito ou opinião sobre uma pessoa com base em nossas crenças pessoais sem levar em consideração o universo em que esse outro alguém está inserido.
 
Nosso cérebro costuma trabalhar a formação de nossas próprias opiniões baseando-as em associações. Sendo assim, é através de nossa experiência de vida, de nossas leituras e do espaço em que crescemos e nos formamos que o nosso modo de ver o mundo é tecido, isto é, nosso ponto de vista é gerado por essas associações.
 
Amplie a sua visão de mundo.
 
No entanto, nós precisamos aprender a compreender e respeitar o modo de viver e pensar do outro. Pois o mundo não gira em torno de nosso próprio umbigo e nossas crenças não são verdades absolutas.
 
Saiba que uma nova ideia só nasce a partir do momento em que você adquire um novo conhecimento. Quando você é capaz de tecer uma nova opinião ou de olhar seu modo de pensar e o do outro sobre um novo ângulo, novos caminhos podem se abrir para você.
 
Questione-se e analise suas opiniões.
 
É muito importante enxergar o outro lado da moeda. Pois, muitas vezes, nossas opiniões são baseadas em um preconceito ou numa falta de habilidade em interagir com o próximo. Não podemos ser intolerantes, é preciso saber ouvir e debater.
 
Estamos acostumados a viver em um mundo cheio de embates acalorados. As pessoas entram em conflito simplesmente por pensar e ter diferentes opiniões sobre os mais diversos temas. É por isso que precisamos nos dar o benefício da dúvida e analisar a forma como emitimos aquilo que pensamos.
 
Saia da caixinha!
 
O conhecimento que gera nossas opiniões é algo maleável, isto é, está em constante transformação. Por isso, é enriquecedor quando damos liberdade para o nosso processo criativo, ou quando nos damos uma chance de poder sair da caixa em que vivemos para ouvir o que os outros dizem, observar o que estão fazendo e tentar aprender algo novo com tudo isso.
 
Talvez suas crenças estejam tão consolidadas que não possam mais ser lapidadas ou transformadas, mas, de todo modo, você aprenderá a não ultrapassar o limite do outro. Vai aprender a conviver com quem tem um ponto de vista diferente do seu.
 
Lembre-se: o jogo da vida é coletivo!
 
A vida da gente não é um jogo de xadrez no qual estamos o tempo todo tentando derrubar o outro. Nossa existência depende de parcerias, de andar juntos, de saber levantar a bola para o próximo ou de saber receber as bolas que te levantam.
 
Você já entrou em conflito com alguém que pense diferente de você? Conte para gente como lida com situações como essa e como esse texto pode te ajudar em seu ponto de vista.
 
Ricardo Frota

Ricardo Frota

Médico, Psiquiatra, Coach com ênfase em Life Coaching e estudioso de neurociência, física quântica, epigenética e espiritualidade.

Site: http://www.ricardofrota.com/

facebook:  https://www.facebook.com/rf.ricardofrota 

Este post foi lido 2787 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>