POst 5-F

Você tem alguma objeção em ser rico?

A forma e a experiência são apenas efeitos, aparências – e disseram-nos para não julgarmos pelas aparências! “Julgar” alguma coisa significa acreditar nela, assumi-la como verdadeira e concluir que é real. Mas disseram-nos para não fazer isso. Por que? Porque tudo que aparece como um efeito não tem valor próprio; o único atributo que um efeito tem são aqueles que você lhe dá.
 
Dinheiro é um efeito.
 
Quando você se concentra no efeito, está esquecendo-se da causa, e quando você esquece a causa, o efeito começa a diminuir. Quando você põe o foco de sua atenção em “conseguir dinheiro”, você está, na verdade, fechando seu suprimento.
 
O certo é começar, neste exato momento, a parar de acreditar que o dinheiro é sua substância, seu suprimento, seu suporte, sua certeza e sua segurança. O dinheiro não é nada disso, mas Deus é!
 
Quando você entende e concebe essa verdade, o suprimento flui ininterruptamente numa manifestação abundante e perfeita. Você precisa olhar exclusivamente para Deus como a Fonte e retirar por completo a sua mente dos efeitos externos.
 
Se você olhar para o seu trabalho, seu empregador, seu esposo ou seus investimentos como se fossem a fonte de seus suprimentos, você estará, na verdade, desconectando-se da Fonte Real. De fato: se você olhar qualquer pessoa, lugar ou condição necessária ao seu suprimento, estará fechando o fluxo. Se der poder a qualquer mortal, mesmo que seja o de ser um canal para o seu suprimento, você estará limitando seus bens.
 
Você deve pensar sobre dinheiro ou qualquer outro desejo de posse material simplesmente como um símbolo externo do suprimento interno, e a única realidade desse símbolo é a substância que está implícita na manifestação externa.
 
Dinheiro é o símbolo de uma Ideia na Mente Divina, ideia esta que é a suficiência plena de suprimentos para atender, com o excedente Divino, a cada uma das necessidades da sua vida individual. Quando a Ideia Divina se exterioriza na manifestação, ela aparece como um símbolo dinheiro –, mas dinheiro não é suprimento; o seu suprimento constitui-se, antes, da consciência de Deus enquanto abundância. Quando você tenta coletar, adquirir e possuir os símbolos, colocando a atenção no símbolo e não no suprimento interno, o escoadouro da manifestação fecha-se.
 
Você quer mais dinheiro, mais prosperidade em sua vida? Então, saia da consciência de efeitos (materialidade) e vá para uma consciência de causa (espiritualidade). Quando dá poder a um efeito, você está dando a ele o seu poder. Você está, na verdade, permitindo que o efeito tenha poder obre você.
 
Dinheiro tem poder?
 
Se a sua resposta for “sim”, então você tem dado a ele esse poder, tornando-se, você, o se servo. Você tem invertido os papéis.
 
A Presença Interna, o Você de você, é quem verdadeiramente faz o seu dinheiro. Seu pensar, sua mente racional, nada fazem.
 
Sua única Fonte é a Presença de Deus dentro de você. Se sua mente estiver na Fonte – a Causa –, então o suprimento fluirá livremente; mas se a sua mente estiver no efeito, você bloqueará o fluxo. Quanto mais impessoal você se tornar em relação à origem aparente do seu dinheiro (trabalho, salário, comissões, investimentos, marido, etc. ), mais pessoal você se tornará no relacionamento com a verdadeira Fonte do seu dinheiro, e quanto mais próximo o relacionamento com seu Verdadeiro Ser, maior a abundância em sua vida.
 
Volte-se para dentro de você e oriente a sua Mente Infinita para ver e conhecer somente a abundância. Nesse mar de conhecimento está a Ideia Espiritual correspondente a cada forma, evento, circunstância, condição ou experiência individual que você possa vir a desejar. A energia criativa, a substância dessas Idéias Divinas, está sempre fluindo em perfeita manifestação, mas lembre-se: se você olhar constantemente para os efeitos, a forma material criará uma mutação, uma manifestação inferior à perfeição. Entretanto, se você mantiver o foco no Espírito, estará mantendo aberto o canal para a sua exteriorização de acordo com a ideia Divina.
 
Virá um tempo em que você suprirá a necessidade de dinheiro por meio da constante dependência do seu Mestre Interior, e não mais das formas do mundo externo; contudo, até ser assim, você continuará a experimentar as incertezas de suprimento pelo resto da vida. Cada alma deve aprender essa lição e, até que isso aconteça, lhe será dada uma oportunidade atrás da outra, aparentemente, em forma de falta ou de limitação.
 
Resumo de: O Livro da Abundância
 

Este post foi lido 8883 vezes!

0 respostas

Deixe um comentário

Quer contribuir com seus comentários?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>